Em vídeo, Sinead O’Connor fala sobre pensamentos suicidas: “É o estigma que mata pessoas, não são os transtornos”

“Eu estou vagando por esse mundo sozinha há dois anos como punição por ter transtornos mentais”, ela disse

Redação Publicado em 08/08/2017, às 10h26 - Atualizado em 09/08/2017, às 13h43

A cantora Sinead O'Connor publicou um relato preocupante sobre pensamentos suicidas

Ver Galeria
(2 imagens)

A cantora Sinead O’Connor publicou um preocupante vídeo no Facebook em que admite ter pensamentos suicidas e fala sobre estar sozinha. “Não há ninguém na minha vida além do meu médico, meu psiquiatra, o homem mais doce do mundo, que diz que eu sou sua heroína, e essa é a única coisa que me mantém viva no momento. E isso é meio patético", ela afirma.

Ao longo dos 12 minutos de vídeo, a cantora irlandesa chora e revela que está morando sozinha em um motel em Nova Jersey, nos Estados Unidos. "Espero que este vídeo de alguma forma ajude. Não eu, mas as milhões e milhões de pessoas que são como eu", diz. “Se você tem um transtorno mental, isso é utilizado para invalidar tudo que você diz e sente.”

Após ameaça suicida, Sinéad O'Connor volta a se queixar de família na internet

De acordo com ela, a família a abandonou devido aos transtornos: “Eu estou vagando por esse mundo sozinha há dois anos, como punição por ter transtornos mentais e ficar brava por ninguém cuidar de mim. Especificamente por ter tendências suicidas, na verdade. E por estar brava. Todo mundo tem medo de uma mulher brava, mas o que eu faço quando eu estou brava? Eu escrevo e-mails bravos, eu não grito com as pessoas”. “É o estigma que mata pessoas, não são os transtornos”, ela reflete ao final do vídeo.

Sinead também falou sobre estar longe dos filhos e não poder cuidar deles. Ela ainda diz que mais ninguém na família se importa com os quatro filhos: Jake (do casamento com o músico John Reynolds), Roisin (fruto da relação com o jornalista John Waters), Shane (da relação com o músico Donal Lunny) e Yeshua (do romance com o empresário Frank Bonadio).

Em maio do ano passado, a cantora foi dada como desaparecida e as autoridades consideraram suicídio como uma possibilidade, sendo que Sinead havia tentado acabar com a própria vida meses antes, ao ingerir uma dose excessiva de comprimidos. Ela acabou sendo encontrada “viva e a salvo” em Chicago, nos Estados Unidos.

Assista ao vídeo abaixo.