Entrevista: Josh Homme fala sobre paternidade e esclarece rusga com Jay Z

Líder do Queens of the Stone Age também afirma que banda deve começar a gravar disco de inéditas no segundo semestre

Simon Vozick-Levinson | Tradução: Ligia Fonseca Publicado em 05/02/2014, às 16h09 - Atualizado às 16h55

Josh Homme
Matt Sayles/ AP

Junto com o Kings of Leon, vocês eram uma das duas únicas bandas na categoria de Melhor Álbum de Rock do Grammy a ter começado depois de 1970. O que isso diz sobre o status atual do rock?

Não sei. Ainda há muitas ótimas bandas de rock por aí – o Arctic Monkeys não teve nenhuma indicação, mas não penso nisso nesses termos. Minha coleção de discos é alfabética, não baseada em gêneros. Amo Ol’ Dirty Bastard. Passei as últimas três semanas ouvindo Dean Martin e Nat “King” Cole. Se é bom, estou dentro.

Os integrantes do Arctic Monkeys são seus amigos. Você queria voltar no tempo e ter 20 anos, como eles?

Nem pensar. Estou muito no agora. Acabei de fazer 40 anos e ainda faço a mesma coisa: só tento impressionar os caras da minha banda.

Quatro motivos para entender por que Josh Homme é um dos caras mais legais do rock atual.

Você ficou na estrada na maior parte do ano passado. Fica cansado desta vida?

O maior desafio é ter de ver as mesmas pessoas e, então, uma quantidade desconhecida de gente nova simultaneamente – é um pouco como trabalhar na peixaria, mas você é um dos peixes. Além disso, é muito difícil conseguir a quantia exata de vodca de que preciso.

Você disse que o Jay Z “deveria se foder” depois de uma má experiência com a segurança dele no festival Made in America, no ano passado. Ele te disse alguma coisa?

Disse. Tivemos uma conversa e acho que um entendeu o ponto de vista do outro muito claramente. Na verdade, ele me contou que a própria família dele teve problemas com a segurança, então não me arrependo do que falei.

Esperava que alguém tão aberto quanto você estivesse no Twitter, mas não é assim. Por quê?

Quando eu era garoto, não havia internet. Não sou contra essas coisas, só não faço isso. Estou em três bandas, tenho um casal de filhos e gosto de ficar ao ar livre.

Falando em filhos, viu a foto do Eddie Vedder em um show do One Direction? Você tem de fazer coisas assim pelos seus filhos?

Não, normalmente vou na outra direção [risos], mas amo ser pai. Tenho uma menina de sete anos e um menino de dois, e ambos querem rolar pelo chão. Penso “Finalmente alguém que consigo entender!”

Você deixa que eles escutem sua música?

Ah, sim, eles amam. O que é estranho – deveriam falar: “Pai, você está me envergonhando!” Só que tenho certeza de que terei muitos anos para envergonhá-los da maneira certa.

Agora que o Queens esquentou os motores novamente, você quer fazer outro álbum logo?

Absolutamente. Temos um número de músicas mais do que suficiente. Estamos com shows marcados até setembro, mas depois disso o plano é entrar em estúdio e mandar ver. Mal posso esperar. Minha parte preferida é estar naquele ponto em que as coisas são feitas do nada.