Harry Styles pode dar vida a Mick Jagger em novo filme sobre os Rolling Stones, diz site

Segundo o Daily Star, produtores notaram semelhança do vocalista do One Direction pelo trabalho dele no filme Dunkirk (2017)

Redação Publicado em 16/06/2016, às 12h23 - Atualizado às 12h34

Harry Styles, vocalista e compositor da boy band britânica One Direction
Press Association/AP

Um dos vocalistas da boy band britânica One Direction, Harry Styles pode interpretar o líder dos Rolling Stones, Mick Jagger, no novo filme sobre a banda. O longa, intitulado Exile on Main Street: A Season in Hell With the Rolling Stones, está atualmente buscando atores para dar vida a Jagger e Keith Richards.

De acordo com o Daily Star, Styles foi cotado pelos produtores devido ao trabalho dele atuando no filme Dunkirk, que só estreia em 2017. “Ele tem cerca de dez anos a menos do que deveria ter, mas maquiagem e efeitos especiais podem resolver isto”, teria dito uma fonte não revelada ao site.

LEIA TAMBÉM

[Galeria] Veja imagens dos Stones entre 1965 e 1967 clicadas por Gered Mankowitz

“Parece que as pessoas em SP assistem ao show pelo celular”, disse Jagger após turnê no Brasil

Ainda que o envolvimento de Styles não passe de rumor, o novo filme sobre os Stones já está confirmado. Com direção de Andy Goddard – que tem diversos episódios da série Downton Abbey no currículo –, o longa-metragem se propõe a retratar o período de gravações do emblemático disco Exile On Main Street (1972).

A Season in Hell With the Rolling Stones é basedo no livro homônimo de 2008, escrito por Robert Greenfield e que foca nas sessões de Exile On Main Street, em Nellcôte, uma vila no sul da França, antes do lançamento do lendário álbum duplo, em 1972. A Virgin Produced, de Richard Branson, adquiriu os direitos para o livro em 2012.

Keith Richards descreveu o processo de feitura de Exile On Main Street em entrevista à Rolling Stone EUA. “Teve uma atmosfera estranha”, ele lembrou. “Estava muito, muito nebuloso – e empoeirado. Não era um ambiente muito bom para, tipo, respirar. Mick Taylor e eu emergíamos na neblina e dizíamos um ao outro: ‘OK, em que tom está isso?’.”