Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Homem que sequestrou cães de Lady Gaga é condenado a 21 anos de prisão

Cães da raça buldogue francês foram roubados; Lady Gaga ofereceu recompensa pela devolução dos animais

Redação Publicado em 06/12/2022, às 13h51

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Lady Gaga em casa com seus cachorros (Foto: Reprodução/Instagram)
Lady Gaga em casa com seus cachorros (Foto: Reprodução/Instagram)

James Howard Jackson, homem que atirou no passeador e roubou os cães de Lady Gata, foi condenado a 21 anos de prisão ontem (05). O caso aconteceu em fevereiro 2021 e a cantora ofereceu a recompensa de U$ 500.00 pela devolução dos animais de estimação.

Na época, o passeador Ryan Fischer ficou gravemente ferido e se dirigiu ao tribunal esta semana para fazer uma declaração.

“É difícil acreditar que se passaram quase dois anos desde que eu estava levando Asia, Koji e Gustav para passear à noite quando, de repente me vi lutando com tudo o que tinha para proteger aqueles cães de serem roubados. Mas não foi o suficiente: fui espancado, estrangulado, baleado e deixado para morrer, sangrando na calçada e ofegando por minha vida. E Koji eGustav se foram.”

Após o tiroteio, eles fugiram com os cachorros e Fisher sofreu um colapso pulmonar. Enquanto os animais foram deixados em uma delegacia em Los Angeles dois dias depois por uma mulher identificada como Jennifer McBride.

Jackson, McBride e outras três pessoas envolvidas com o crime foram presas em abril do ano passado. No entanto, em abril deste ano, Jackson foi acidentalmente solto pelo Departamento de Xerife de Los Angeles. Em uma declaração ao Insider, as autoridades admitiram que isso aconteceu “devido a um erro administrativo.”

+++ LEIA MAIS: Vídeo mostra momento em que cachorros de Lady Gaga são roubados do passeador

Jackson estava aguardando o julgamento por tentativa de homicídio. Após ele ser liberado, o passeador de cachorros escreveu no Instagram que estava “muito preocupado” mas “confiante que a lei corrigirá o erro.”