Keith Richards pede desculpas a Mick Jagger em documentário inédito dos Rolling Stones

"Parte da publicidade da minha autobiografia ofendeu ele e eu me arrependo disso", diz o guitarrista da banda

Rolling Stone EUA Publicado em 17/03/2012, às 09h04

Rolling Stones
AP

Em uma nova entrevista conduzida para um documentário inédito sobre os 50 anos de carreira dos Rolling Stones, Keith Richards se desculpou pelos comentários depreciativos que fez sobre Mick Jagger em sua autobiografia, Vida (2010). Na época, o guitarrista chegou a afirmar que o colega de banda tem "um pênis pequeno".

O filme, ainda sem nome, será dirigido por Brett Morgen, e deverá ser lançado em setembro. Leia abaixo um trecho da entrevista:

Como vocês fazem um levantamento de uma jornada que já durou 50 anos? Deve ter sido difícil às vezes, levando em conta a natureza do relacionamento de vocês e, especialmente, as história que todos nós ouvimos sobre as tensões que resultaram após a publicação de Vida.

Mick: Bem, eu estou feliz que você disse 50 anos como se soasse menos que a metade de um século [risos]. Olhando para trás em qualquer carreira, você pode observar altos e baixos. Nos anos 80, por exemplo, eu e Keith não estávamos nos comunicando muito bem. Eu fiquei muito envolvido com a parte empresarial dos Stones, principalmente porque eu senti que ninguém estava interessado, mas agora é claro que Keith se sentiu excluído, o que é uma pena. Hora de seguir em frente.

Keith: Mick está certo. Ele e eu tivemos conversas no ano passado do tipo que não tínhamos há um tempo extremamente longo, e foi incrivelmente importante para mim. Ao longo do livro, aquela era minha história e era muito crua - como eu queria que fosse - mas eu sei que algumas partes daquilo e parte da publicidade realmente ofendeu Mick e eu me arrependo disso.

A Força de uma Lenda: integrantes relembram a gravação da corajosa obra-prima dos Rolling Stones, Exile on Main St.

O Diabo na Carne de Keith Richards: O ícone absoluto do rock'n'roll resgata seus ídolos, faz questão de esquecer os excessos do passado e se confessa um puritano e amoroso pai de família.