Morre precursor do mangue beat

Mestre Salustiano teve uma parada cardíaca neste domingo; músico influenciou nomes como Chico Science, Antônio Nóbrega e Siba

Da redação Publicado em 01/09/2008, às 10h34 - Atualizado às 14h02

Mestre Salu influenciou nomes como Chico Science e Antônio Nóbrega e é considerado um embaixador da cultura popular nordestina
Divulgação

Manoel Salustiano Soares, o Mestre Salu, faleceu aos 62 anos neste domingo, 31/8. O músico, um dos precursores do mangue beat, sofria de doença de Chagas, e teve surtos de arritmia cardíaca em decorrência da doença. Uma parada cardíaca causou a morte.

Mestre Salu nasceu na cidade de Aliança, em 12 de novembro de 1945. Influenciou nomes como Chico Science (líder da Nação Zumbi, morto em 1997 em um acidente de carro), Antônio Nóbrega e Siba, um dos fundadores do grupo Mestre Ambrósio. Tido como um embaixador da cultura popular pernambucana, Salu ajudou a preservar e a repercutir ritmos e manifestações da Zona da Mata, região de Mata Atlântica de Pernambuco, como a ciranda, o coco e o maracatu.

Além de músico, Mestre Salu também era artesão - confeccionava rabecas e figurinos de bumba-meu-boi e cavalo-marinho, outra dança típica. Entre outras honrarias, recebeu o título de comendador da Ordem do Mérito Cultural, em 2001, do então presidente Fernando Henrique Cardoso, e de "reconhecido saber" pelo Conselho Estadual de Cultura de Pernambuco, em 1990.

O corpo está sendo velado na Casa da Rabeca, em Olinda. Um cortejo de grupos de maracatu e cavalo-marinho acompanhará, a partir das 14h desta segunda, 1º/9, o transporte do corpo até o cemitério Morada da Paz, na cidade de Paulista. O enterro acontece às 15h.