Música de Ke$ha sofre rejeição após massacre em escola norte-americana

“Eu entendo porque a minha música é inapropriada agora”, diz cantora sobre o single “Die Young”

Redação Publicado em 19/12/2012, às 10h27 - Atualizado às 12h00

Ke$ha

A cantora mostra uma versão mais sutil do corte no 26º Genesis Awards, em Beverly Hills, em 24 de março de 2012.
AP

“Die Young”, primeira música de trabalho do disco Warrior, de Ke$ha, está sofrendo rejeição das rádios norte-americanas depois do massacre que levou a vida de 26 pessoas, 20 delas crianças, em uma escola de Newtown, Connecticut, noticiou o site TMZ.

Ke$ha passou por São Paulo em 2011. Relembre como foi o show da norte-americana.

Embora a letra da música dê conta de noitadas selvagens, o título da faixa, algo como “morrer jovem”, em português, fez com que os números de execuções nas rádios norte-americanas caíssem. No dia do massacre, a canção chegou ao terceiro lugar nas paradas das rádios, tendo alcançado 167 milhões de ouvintes. No dia seguinte, sábado, o número de ouvintes caiu em 3 milhões, e na segunda diminuiu mais 19 mi.

A cantora decidiu se manifestar a favor do boicote por meio de sua conta no Twitter. “Eu entendo. Tenho meus próprios problemas com ‘Die Young’ por essa razão. Eu não gostaria de cantar essa letra e fui forçada a isso!”, escreveu ela. “Eu sinto muito, muito, muito, por qualquer um que tenha sido afetado por esta tragédia e entendo a razão pela qual a minha música é inapropriada agora. Palavras não podem expressar.”