Planet Hemp e Racionais fazem a primeira noite do Festival Planeta Atlântida

Evento em Florianópolis contou com nomes diversos como Claudia Leitte, Naldo e ConeCrewDiretoria

Lucas Reginato, de Florianópolis Publicado em 12/01/2013, às 06h14 - Atualizado às 09h53

Planet Hemp
Jefferson Bernardes / Preview.com

Com a experiência de quase 20 festivais já realizados, o Planeta Atlândida em Santa Catarina parece não ter mais problemas na hora de desenhar e montar a estrutura do evento. Ao contrário do que aconteceu em edições anteriores, a situação meteorológica também ajudou, e o sol aberto do fim da tarde e, depois, uma noite parcialmente estrelada afastaram o perigo de chuva e possíveis problemas causados por ela. Duas grandes praças de alimentação, além de outra no camarote, ajudaram a evitar filas muito extensas, assim como os banheiros espalhados pelo local.

A programação manteve a tradição de incluir nomes constantes nas rádios brasileiras, como Charlie Brown Jr e Strike, embora neste ano a última atração anunciada, Racionais MC's, tenha atraído maior expectativa. O grupo puxou a fila de artistas do rap e hip-hop nacional, como o também muito celebrado Planet Hemp, e os mais jovens Emicida, Projota e ConeCrewDiretoria – estes três últimos também acompanhados por numerosa plateia, mesmo que não sobre o Palco Principal, mas no secundário, chamado Pretinho Convida (o nome é referência a um bem-sucedido humorístico da rádio que batiza o evento).

Saiba abaixo como foram os principais shows da noite.

Strike

Debaixo de céu completamente limpo na capital catarinense, quem abriu a edição de 2013 do Festival Planeta Atlântida foi o Strike. Às 18h30, como previsto, a banda entrou no palco para uma plateia não tão grande – quem estava presente, no entanto, deu a entender que chegou nas primeiras horas do evento justamente para acompanhar hits como “Fluxo Perfeito”, “O Jogo Virou” e “Paraíso Proibido”, que fechou, depois de cerca de 50 mintuos, o primeiro show da noite de sexta-feira.

Racionais

Os Racionais MC's foram anunciados de última hora no line-up e imediatamente geraram um buzz gigantesco nas redes sociais. A confirmação, afinal, pegou todos de surpresa – não só pelas poucas apresentações que o grupo faz, mas principalmente porque ele não tem nem um pouco a característica do festival. Por isso talvez a plateia pareceu estar apática durante a interpretação de músicas como “Vida Loka”, “Nego Drama” e “Cores e Valores”.

Mano Brown e sua turma, por outro lado, se mostraram completamente à vontade no palco. De forma por vezes até teatral, os MCs se revezaram nos vocais em diálogos rimados já clássicos. A tradicional invasão de amigos do selo Cosa Nostra também aconteceu nos últimos momentos de show, e quem também apareceu foi Chorão, que se apresentaria em seguida. O vocalista do Charlie Brown, contudo, pouco ou nada fez ao lado dos rappers paulistanos.

Charlie Brown Jr.

Os Racionais também, em troca, invadiram o show do Charlie Brown durante os primeiros minutos, mas logo deixaram o palco. Recordista de participações no evento, a banda de Santos fez o que já está acostumada a fazer – aquilo que a gabarita como a mais pedida entre o público catarinense. Hits antigos como “Zóio de Lula” e “Papo Reto” e outros mais recentes como “Só os Loucos Sabem” foram interpretadas pela banda de Chorão.


Claudia Leitte

A cantora baiana distribuiu sorrisos pela capital catarinense e levou ao palco aquilo que prepara para o próximo carnaval. Claudia Leitte trabalha com a canção “Largadinho” e não deixou de mostrá-la aos presentes. Grande parte do público, no entanto, se dispersou depois da apresentação do Charlie Brown Jr., e a plateia se transformou quase que completamente.

ConeCrewDiretoria

Os “mulekes” do Rio de Janeiro aproveitaram diminuição de público no palco principal para lotar o palco secundário do evento mais do que qualquer outra atração da noite. O ConeCrew apresentou canções como “Chama os Mulekes” e disparou contra tudo e contra todos – eles xingaram, sempre de forma rimada, muitas das outras atrações, por exemplo. E antes de se despedirem fizeram a promessa: ano que vem estarão no palco principal.

Planet Hemp

Como em qualquer lugar por onde passou recentemente, o Planet Hemp atraiu uma multidão para o palco principal do Planeta Atlântida e foi provavelmente a atração mais celebrada da primeira noite de evento. Conscientes de cada detalhe de música e movimentação de palco, os frontmen Marcelo D2 e BNegão se revezaram harmoniosamente enquanto interpretaram clássicos como “Dig Dig Dig” e “Mantenha o Respeito”.

Naldo

Foi só no sábado que Naldo descobriu que seria o responsável por encerrar a primeira noite do Planeta Atlântida. O cantor carioca, conhecido por atuais sucessos como “Exagerado”, suou para conquistar a plateia e dançou até não poder mais. Sofreu, contudo, com o repertório curto, e apelou para clássicos de festa como “Descobridor dos Sete Mares”, hits do funk como “Rap da Felicidade” e até canções românticas como “Como É Grande o Meu Amor por Você”. Nenhuma delas, no entanto, com o mesmo êxito alcançado pelo hit atual “Amor de Chocolate”.