Presidente da CBS diz que surto de ator de Two and a Half Men não foi nada perto do de Charlie Sheen

Les Moonves disse que crise de Angus T. Jones é algo normal para atores que começam tão cedo e que “ele continua recebendo seus US$ 300 mil por semana”

Redação Publicado em 11/12/2012, às 11h31 - Atualizado às 11h58

Angus T. Jones
AP

Segundo Les Moonves, presidente da emissora norte-americana CBS, a crise de Angus T. Jones foi bem fácil de lidar, em comparação com o que ele enfrentou quando teve que demitir Charlie Sheen de Two and a Half Men, em 2011. Les Moonves deu entrevista para o Yahoo! em um evento organizado pelo Wall Street Journal e falou sobre o caso.

O peso da fama: jovens astros que surtaram durante ou depois do sucesso.

"Contratamos esse menino que começou a trabalhar com a gente quando tinha 8 anos e isso parece ser o que acontece com atores mirins ao longo do tempo”, disse. “Agora ele ganha mais de US$ 300 mil por semana, o que não é nada mal como o salário de um cara de 19 anos, e ele foi até um canal religioso implorar para as pessoas não verem o programa porque ele é ‘sujo’. Ah, ele continua recebendo seus US$ 300 mil por semana."

Como disse Moonves, Jones foi notícia no mundo todo com a divulgação de um vídeo em que ele faz um testemunho para um site religioso pedindo para as pessoas não assistirem à série. Posteriormente, ele divulgou um comunicado com pedido de desculpa. Leia aqui..