Radiohead deve reunir-se novamente em setembro, diz guitarrista

Jonny Greenwood está compondo para orquestras e trabalhando em trilhas sonoras de filmes

Rolling Stone EUA Publicado em 14/06/2014, às 13h00 - Atualizado às 17h09

Jonny Greenwood já está trabalhando em nova trilha sonora de filme
AP

Enquanto os fãs do Radiohead sonham com um disco para dar sequência a The King of Limbs, de 2011, a banda está aproveitando um descanso merecido. Mas o multi-instrumentista Jonny Greenwood se mantém ocupado. Em coluna escrita ao The Guradian, Greenwood afirma que o Radiohead está tirando um “ano de folga”, com volta prevista para o próximo mês de setembro, e detalha o que ele está fazendo neste meio tempo: trabalhando nos projetos de trilhas sonoras para filmes (incluindo a do filme de Paul Thomas Anderson a ser lançado, Inherent Vice) e a imprevisível e excitante tarefa de tocar música clássica ao vivo.

Reconectando o Radiohead: como a banda mais experimental da música atual aprendeu a fazer rock novamente.

Um do projetos principais de Greenwood foi “escrever música para pequenos grupos de cordas”, incluindo as parcerias com a Australian Chamber Orchestra e a London Contemporary Orchestra. Escrever música que é “planejada para shows, e não para gravações” tem feito o multi-instrumentista repensar sua abordagem ao compor.

Radiohead fez um dos dez melhores shows da história do Grammy.

“Eu amo a inconstância da música ao vivo. Ela é tocada no salão – que é infinitamente variável de um concerto para o outro – e em um instante ela se vai, absorvida pelas paredes”, ele diz. “Diferente de gravações, isso não é idêntico à performance anterior ou à próxima. Pode sair ligeiramente (ou muito) ruim a qualquer momento. Além de que tudo é compartilhado igualmente por todos no salão”.

Chef cria refeição inspirada em Kid A, do Radiohead.

Greenwood ainda falou das armadilhas de cultura audiófila e como alguns ouvintes dão mais importância à fidelidade e à qualidade do que realmente à música. “Fui a uma loja com o produtor de Radiohead, Nigel Godrich”, ele diz. “Olhando os preços, ele perguntou ao dono: ‘Por que você tem a necessidade de ouvir OK Computer em um CD player que custa mais do que a máquina de fitas na qual a gente o gravou?’. ‘Ah’, ele respondeu. ‘Você é uma dessas pessoas que acham que digital é apenas 'um' e 'zero'?’”

Thom Yorke chama Spotify de “o último suspiro de uma velha indústria”.

Em março, Greenwood disse ao Nashville Cream que a banda está planejando se reunir em setembro para discutir o próximo passo musical. Enquanto isso, ele segue com o projeto solo de orquestra.