Rodrigo Santoro pode viver Senna no cinema

Em entrevista a site norte-americano, ator brasileiro confirmou que existe projeto de uma cinebiografia do piloto

Redação Publicado em 08/05/2012, às 13h24 - Atualizado às 13h35

TALENTO EXPORTAÇÃO Santoro passa a maior parte do tempo fora do país, mas ainda acha tempo para trabalhar aqui
JOÃO MIGUEL JR (DIVULGAÇÃO)

Rodrigo Santoro pode interpretar Ayrton Senna em uma futura cinebiografia. A informação foi confirmada pelo próprio ator em entrevista ao site Collider. Santoro divulga atualmente o filme O que Esperar Quando Você Está Esperado, comédia que estrela ao lado de Jennifer Lopez.

Galeria: brasileiros que buscaram carreira no cinema em Hollywood.

Os rumores sobre um filme de ficção retratando a vida de Senna já estão sendo divulgados há algum tempo. Santoro diz que não assinou nenhum contrato, mas que sim, “estão acontecendo conversas”.

“Eles estão trabalhando [no roteiro]. Já tem algo, uma estrutura”, ele afirmou sobre o projeto. “Eles estão tentando descobrir como fazer isso. É uma coisa grande, um projeto grande. Para o Brasil, é o maior.”

Ele seguiu falando sobre a importância de Senna para o país. “Quer dizer, ele é um herói. No Brasil, ele é... ‘imenso’ não descreveria. Ele é um herói, um verdadeiro herói. É um assunto muito delicado; tenho tido muito cuidado em como iremos abordar isso”, se abriu Santoro, entregando que, embora ele não tenha assinado um contrato, está bem envolvido na ideia. “Se a gente realmente seguir em frente, será com a família dele. Será tudo feito de um modo muito, muito cuidadoso e respeitoso. Então sim, é possível. No momento, ainda estamos conversando, mas [o projeto está andando.”

Se tudo for confirmado, não será a primeira vez que Santoro interpreta um ídolo do esporte. Ele encarnou o jogador de futebol Heleno de Freitas, ídolo do Botafogo, em Heleno.

P&R: Santoro fala sobre futebol e relembra o filme que fez com Schwarzenegger.

Senna, por sua vez, foi retratado recentemente em um premiado documentário, que leva o nome do piloto. “A gente queria dar a sensação de que ele estava vivo novamente”, contou o diretor Asif Kapadia à Rolling Stone Brasil. Leia aqui a entrevista.