Scorsese acredita que cinemas dos EUA podem não sobreviver à pandemia de coronavírus

Diversas produções foram paradas ou adiadas devido ao coronavírus

Redação Publicado em 01/10/2020, às 18h28

None
Martin Scorsese (Foto:Evan Agostini / AP)

Martin Scorsese, James Cameron e Clint Eastwood se reuniram para escrever uma carta aos líderes do Senado e da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos. A declaração também é assinada por proprietários de cinemas. As informações são do UOL.

Os cineastas e empresários pedem por ajuda financeira porque "os cinemas podem não sobreviver ao impacto da pandemia". Vale recordar como diversas produções foram paradas ou adiadas devido ao coronavírus.

+++ LEIA MAIS: Não existe cenário que ir ao cinema seja ‘seguro’, revelam cientistas

A carta contém mais de 70 firmas de diretores e produtores. Além disso, as organizações National Association of Theatre Owners, o Directors Guild of America e a Motion Picture Association também participaram do pedido. 

Segunda pesquisa divulgada pelo The Hollywood Reporter em março, a pandemia pode custar mais de R$ 22 bilhões à indústria cinematográfica mundial em 2020.

+++ LEIA MAIS: Como os cinemas vão sobreviver ao isolamento social e à crise do novo coronavírus?

Apesar de algumas redes norte-americanas terem reaberto os cinemas depois de mais de cinco meses, a capacidade ainda permanece reduzida para proteção. Além disso, as salas não foram reabertas nos grandes mercados dos EUA, como acontece nas cidades de Nova York e Los Angeles.


+++ HOT E OREIA: 'VIRAMOS ADULTOS, MAS AINDA BUSCAMOS POR ESSA CRIANÇA DO COMEÇO'