T2, sequência de Trainspotting — Sem Limites, ganha um frenético primeiro trailer

Ewan McGregor e companhia estão de volta para sexo, drogas e esquemas no vídeo que adianta a aguardada continuação

Rolling Stone EUA Publicado em 03/11/2016, às 11h48 - Atualizado às 14h45

Cena do trailer de T2, sequência de Trainspotting — Sem Limites (1996)

Ver Galeria
(2 imagens)

No ano que vem, o elenco original do filme Trainspotting — Sem Limites (1996) volta a aparecer reunido nas telonas com T2 Trainspotting, que teve o primeiro trailer divulgado nesta quinta, 3.

Como uma homenagem ao original, uma voz declara: “choose life” (“escolha viver”), antes de dar uma guinada à modernidade: “Choose Facebook, Twitter, Instagram and hope that someone, somewhere cares” (“Escolha o Facebook, Twitter, Instagram e espere que alguém, em algum lugar, se importe”).

LEIA TAMBÉM

[Galeria] Top 10: uma viagem musical pela carreira de Danny Boyle.

Danny Boyle diz que será “crucificado” caso T2 seja ruim

O tempo pode ter passado – cerca de vinte anos –, mas muito pouco do universo de Trainspotting parece ter mudado. O vídeo é cheio de uso de drogas, sexo, tumultos e “Born Slippy”, do Underworld, todos elementos centrais para criar o apelo gerado pelo primeiro filme.

Além de Danny Boyle como diretor, T2 – que tem estreia prevista para fevereiro de 2017 – conta com os retornos dos atores Ewan McGregor, Ewen Bremner, Jonny Lee Miller e Robert Carlyle, que estiveram no longa original. O roteiro é assinado por John Hodge, outro que também trabalhou em Trainspotting — Sem Limites.

Assista ao trailer abaixo.

O primeiro Trainspotting é baseado em um livro do autor escocês Irvine Welsh e o roteiro de T2 é parcialmente inspirado na sequência escrita por Welsh, Porno. Enquanto Porno é ambientado dez anos depois dos eventos de Trainspotting, o novo filme acompanha a linha do tempo da vida real, acontecendo 20 anos depois.

Recentemente, Danny Boyle disse que será “crucificado” caso T2 seja um filme ruim. “É preocupante, porque as pessoas vão me matar se eu fizer um trabalho ruim. Serei crucificado”, disse o diretor. “Mas você deve atravessar esse potencial perigo e se alimentar das adversidades, talvez assim faça um trabalho adequado, entende?”.