Ataque terrorista mata pelo menos 15 pessoas em show do Eagles Of Death Metal em Paris

Diversos locais da capital francesa foram atacados por bombas e tiros durante a noite desta sexta-feira, 13

Redação Publicado em 13/11/2015, às 20h29 - Atualizado às 23h42

Josh Homme, do Queens of The Stone Age, e de Jesse Hughes, do Fatso Jetson, no Eagles of Death Metal
Reprodução/Facebook

Atualização - 21h51

A agência France Presse diz que a polícia entrou na casa de shows Bataclan, onde cerca de 100 feridos, de acordo com a maioria das reportagens, estão sendo mantidos como reféns pelos terroristas. Dois terroristas foram mortos na ação e a polícia retirou cerca de uma centena de reféns. Alguns aparentavam estar feridos. Veja informações atualizadas aqui.

Fim da atualização

Pelo menos 15 pessoas foram mortas em um ataque terrorista durante show do Eagles Of Death Metal, na noite desta sexta-feira, 13, em Paris. As informações ainda não são concretas, mas segundo a agência France Presse, 15 pessoas teriam morrido no local e o total de mortes, em toda a cidade, é de cerca de 60, de acordo com a CNN (as informações, contudo, têm mudado constantemente).

Reféns ainda estariam sendo mantidos na casa de show Bataclan e as forças policiais estariam tocando tiros com os criminosos. Parceiro de Jesse Hughes no Eagles Of Death Metal, Josh Homme, do Queens of The Stone Age, não está cumprindo agenda com a banda durante a porção europeia da turnê, informou o Consequence of Sound.

A Rolling Stone EUA tentou entrar em contato com a assessoria da banda, mas não há qualquer confirmação. De acordo com usuários do Twitter e do Instagram, o show estava acontecendo quando a casa de shows foi atacada. A pedido de autoridades locais, veículos de imprensa deixaram de transmitir informações sobre os arredores do Bataclan.

O grupo francês Red Lemons postou no Facebook que os integrantes da banda estavam seguros e não foram feitos reféns. A esposa do baterista Julian Dorio declarou ao jornal The Washington Post que conversou com ele e, segundo ela, os músicos deixaram a casa de espetáculo assim que o atentado começou. "Estamos aflitos e rezando por todo mundo. [O Julian] ligou e disse que me amava e estava bem. Todo mundo o que estava no palco conseguiu sair", disse Emily Dorio. Não se sabe se a equipe de apoio da banda também deixou o local a tempo. Um amigo da banda White Miles, que fez a abertura do show, escreveu no Facebook que o Eagles deu notícias e que eles estão em um local seguro.

Este foi um de uma série de casos de terror registrados na mesma noite na capital francesa. Durante partida amistosa entre França e Alemanha, no Stade de France, barulhos de explosões fizeram com que o presidente nacional François Hollande fosse retirado às pressas do local. Atentados também teriam ocorrido nas proximidades do estádio, na periferia da cidade, e em dois restaurantes na região da casa de shows.

Hollande deu uma declaração anunciando que o país está em estado de emergência pela primeira vez depois de dez anos – da última vez, por conta de distúrbios em bairros do subúrbio de Paris - e que as fronteiras foram temporariamente fechadas. A prefeitura de Paris aconselhou as pessoas a não saírem de casa. A Folha de S.Paulo publicou informações do Itamaraty de que dois brasileiros estariam entre os feridos. “Consternada pela barbárie terrorista, expresso meu repúdio à violência e manifesto minha solidariedade ao povo e ao governo francês”, escreveu pelo Twitter a presidente do Brasil, Dilma Rousseff.

“A França é nossa mais antiga aliada. O povo francês manteve-se ombro a ombro com os Estados Unidos inúmeras vezes. Queremos deixar bem claro que permanecemos com eles na luta contra o terrorismo e o extremismo”, disse Barack Obama, presidente dos Estados Unidos.

O Eagles Of Death Metal está escalado para se apresentar na próxima edição do Lollapalooza, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, dia 12 de março de 2016.