Tony Scott não revelou o motivo do suicídio na carta que deixou para a família

Site diz que diretor escreveu que amava a esposa e os filhos em bilhete “curto e doce”

Redação Publicado em 24/08/2012, às 16h28 - Atualizado às 16h50

Tony Scott
AP

O site TMZ informou que a carta que o diretor Tony Scott deixou para a família antes de morrer não revelou um motivo para que ele cometesse suicídio.

As fontes do veículo estão por dentro dos detalhes da investigação e afirmaram que o bilhete era “curto e doce” – nele, Tony disse que amava a esposa e os filhos gêmeos Max e Frank. Por enquanto, a esposa dele não deu nenhuma informação à polícia que possa justificar o acontecido.

Site diz que pessoas estão tentando vender imagens de Tony Scott pulando da ponte a veículos de fofoca.

De acordo com testemunhas, Scott estacionou o carro na ponte Vincent Thomas, sul de Los Angeles, às 12h30 (16h30, no horário de Brasília) do último domingo, 19. Ele desceu do carro, escalou a ponte e se atirou no mar. O corpo dele foi tirado da água por um time de mergulhadores algumas horas depois. A polícia chegou ao escritório do diretor ao investigar o carro parado na ponte e encontrar lá uma folha com contatos dele.

Posteriormente, a rede de TV ABC divulgou que Scott estava com um câncer inoperável no cérebro. A esposa do diretor negou a informação e a emissora pediu desculpas. O conteúdo da autópsia não chegou a ser divulgado oficialmente, mas veículos publicaram que não havia indícios da doença.