Vitão volta a Brasília para acampamento indígena e pede "fim desse governo antiindigenista"

Cantor marcou presença no 18ª Acampamento Terra Livre; essa não é a primeira passagem de Vitão em defesa dos povos originários

Redação Publicado em 14/04/2022, às 12h18

Vitão marcou presença no 18ª Acampamento Terra Livre; essa não é a primeira passagem do cantor em defesa dos povos originários
Diego Baravelli/Greenpeace

Vitão está de volta em Brasília - dessa vez em causa nobre. O cantor participa da 18ª edição do Acampamento Terra Livre, onde debate, ao lado de indígenas, a questão da defesa das pautas de povos originários.

Esta não é a primeira vez que Vitão se posiciona ao lado das comunidades em Brasília. Em 2021, ele participou da marcha contra o Marco Temporal, além de compor o projeto Amazônia em Chamas, deslocando-se até a região para conferir e dar visibilidade à destruição causada pelo desmatamento. Ainda em 2021, o posicionamento lhe rendeu o convite para ser embaixador do Greenpeace.

Vitão participa do 18º ABL (Diego Baravelli/Greenpeace)
Vitão participa do 18º ABL (Diego Baravelli/Greenpeace)

 

Pelo Instagram, o cantor compartilhou fotos e vídeos do primeiro dia junto às comunidades, junto a um depoimento com as principais demandas do grupo. No texto, Vitão escreve: "A luta é pela demarcação de terras, contra o fim desse governo antiindigenista e seus massacres, contra o Marco Temporal, a favor do aldeamento político (maior presença de povos indígenas no senado), a favor de uma vida digna para os verdadeiros donos da nossa terra".

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por V I T Ã O (@vitao)

 

O cantor ainda diz que reuniu-se com lideranças da etnia Xokleng, de Santa Catarina: "Eles me falaram muito sobre todo extermínio sofrido ao longo dos anos, não só por meio de assassinatos como também de epidemias e doenças trazidas pelo homem branco para suas comunidades", escreveu, reforçando que "todas essas coisas horríveis não acontecem só com os Xokleng, já virou regra para praticamente todos os incontáveis povos indígenas presentes no Brasil".

Vitão participa do 18º ABL (Diego Baravelli/Greenpeace)
Vitão participa do 18º ABL (Diego Baravelli/Greenpeace)

 

O Acampamento Terra Livre deste ano tem como tema: “Retomando o Brasil: Demarcar Territórios e Aldear a Política”. Confira abaixo fotos da passagem de Vitão pela mobilização e o depoimento completo do cantor:

Hoje participei de mais uma ATL (acampamento terra livre) junto com o @greenpeacebrasil. A luta é pela demarcação de terras, contra o fim desse governo anti-indigenista e seus massacres, contra o Marco temporal, a favor do aldeamento político (maior presença de povos indígenas no senado), a favor de uma vida digna para os verdadeiros donos da nossa terra. Tive a oportunidade de conversar bastante com o povo Xokleng, vindos da região de Santa Catarina. Eles me falaram muito sobre todo extermínio sofrido ao longo dos anos, não só por meio de assassinatos como também de epidemias e doenças trazidas pelo homem branco para suas comunidades. Falaram muito também sobre a barragem construída na redondeza de suas terras, que causou incontáveis inundações em mais de 1000 hectares de seu território, alagando escolas, plantações, moradias e intoxicando os moradores com substâncias presentes na água. Todas essas coisas horríveis não acontecem só com os Xokleng, já virou regra para praticamente todos os incontáveis povos indígenas presentes no brasil. Estamos caminhando para mais um julgamento no STF da lei do Marco temporal (23 de junho ), que vai definir se os Xokleng poderão recuperar suas terras perdidas ou se vão perder mais do que o pouco que ainda lhes resta. As mesma regra aplicada a eles se aplicará a todos os povos indígenas presentes no brasil, confirmando a cultura de generalização de povos indígenas presente na forma de pensar do governo. Convoco meus irmãos da classe artística para fortalecer a luta e fazer pressão contra o Marco temporal, os políticos precisam entender de vez a importância de preservar vidas e o meio ambiente, que segue sendo igualmente exterminado. Agradeço o carinho de todas as pessoas que encontrei hoje, fui muito bem recebido na manifestação e é uma honra poder apoiar a luta. DEMARCAÇÃO JÁ PORRA