Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Viúva de Gal Costa é acusada de aplicar golpes, ameaças e assédio moral

Reportagem reúne relatos de amigos, ex-funcionários e parentes de Gal Costa que apontam Wilma Petrillo como responsável pela falência da cantora

Gal Costa (Foto: Ana Paula Amorim) / Wilma Petrillo (Foto: reprodução)
Gal Costa (Foto: Ana Paula Amorim) / Wilma Petrillo (Foto: reprodução)

Wilma Petrillo, viúva de Gal Costa morta aos 77 anos em novembro, foi acusada por amigos próximos da cantora e ex-funcionários de fazer ameaças, assédio moral e de aplicar golpes financeiros. Os relatos foram reunidos em uma reportagem escrita por Thallys Braga na edição de julho da revista Piauí. 

Para a reportagem, Thallys Braga falou com 13 pessoas - seis ex-funcionários de Gal, seis amigos e um parente e reuniu depoimentos que acusam Wilma de ser responsável por levar Gal Costa à falência.

+++LEIA MAIS: Erasmo Carlos 'batalhou' para compor 'Meu Nome é Gal': 'Queria desabafar'

Assédio moral e golpes financeiros

Entre os entrevistados, Bruno Prado, médico e amigo próximo de Gal Costa, relata que Wilma chegou a pedir entre R$ 10 mil e R$ 15 mil reais emprestados para uma cirurgia nos olhos e o dinheiro não foi devolvido no prazo. 

Bruno então, conta que passou a não ser convidado para os shows e festas na casa de Gal foi ameaçado pro Wilma por ser gay. Na ocasião, Bruno não havia revelado sua orientação sexual à família e Wilma usou isso contra ele: "Se você continuar me cobrando, eu vou fazer uma coisa muito bonitinha: conto pro teu pai que você é viado". "Quando ela falou isso, eu tremi", relembra ele, que decidiu escrever um e-mail para Gal contando toda a história (via Quem).

Gal teria prometido para Bruno o pagamento da dívida e WIlma cumpriu, no entanto, contou sobre sua orientação sexual ao pai dele e seguiu com mais ameaças:

"Você vai tomar uma surra tão bonita que vai aprender a respeitar os outros". "Ela dizia coisas como: 'você não tem vergonha de pedir dinheiro para uma mulher mais velha, sua bicha?'. Bruno fez um boletim de ocorrência na delegacia, na época, também explicado pela reportagem.

Boicotes e falência

O produtor Ricardo Frugoli também foi um dos entrevistados e revelou que trabalhar com WIlma não foi uma boa experiência. Gal teria perdido oportunidades de fazer shows no Brasil e Europa pelo comportamento da esposa. Houve tamvém relatos de acusações infundadas contra ex-funcionários e humilhação nos bastidores. 

De acordo com a reportagem, Ricardo,então, revelou detalhes para Gal, mas a cantora teria ficado furiosa com a notícia e ambos não tocaram mais no assunto. Ele também chegou a fazer um boletim de ocorrência contra Wilma por ameaças. A demissão dele veio quatro dias depois da denúncia.

"Durante muito tempo, fui o cara que não deixou a bomba explodir. Continuar ali era importante para protegê-la do que vinha acontecendo na carreira e dentro de casa".

A reportagem também traz a tona dívidas em nome da Gal Costa. Entrevistados concordaram que as finanças da cantora eram minadas por WIlma e que dívidas iam desde mensalidade da escola do filho Gabriel, pagamentos de empregados, restaurantes até à Receita Federal dos Estados Unidos.

Todos os entrevistados pela Piauí afirmaram que as finanças de Gal eram controladas por Wilma e dívidas iam de restaurantes, mensalidades da escola de Gabriel filho do casal, pagamentos de empregados até à Receita Federal dos Estados Unidos.