Música

Relembre a eterna e clássica Nina Simone

Uma mistura de sentimentos: essa era Nina Simone e a energia envolvente de suas músicas

Paulo Marinho Publicado em 23/02/2022, às 16h00

Do jazz à música clássica, relembre Nina Simone
Créditos: Reprodução / Acervo

Do jazz à música clássica. Era assim que Eunice Kathleen Waymon, conhecida como Nina Simone, utilizava seu talento e seus dons artísticos. Nascida em 21 de fevereiro de 1933, no estado da Carolina do Norte, Simone e a música sempre estiveram conectadas.

Sempre ativa e disposta, Nina cantou por bares de Nova Iorque, Filadélfia e Atlantic City, onde explorava o gênero blues escondida de seus pais - motivo pelo qual criou seu nome artístico. Estudava piano no Juilliard School, e mesmo com sua capacidade e talento, foi impedida de ingressar no Instituto de Música Curtis. 

Nina Simone posicionava-se contra o racismo na década de 1960, ação que a destacou nos movimentos pretos pelo mundo, a tornando um ícone pelos direitos civis dos afro-americanos. Sua canção Mississippi Goddamn é considerada um hino ativista para os negros, foi com ela que Nina falou pela primeira vez sobre a desigualdade social que prevalecia nos Estados Unidos. 

Impaciente, introspectiva e imprevisível. Assim era descrita a reputação de Nina Simone, que, ao mesmo tempo, era conhecida por ser inteligente, criativa, talentosa e extremamente sincera. Todos esses adjetivos eram utilizados somente por seu grupo de amigos íntimos, algo que foi trazido à público por meio de sua biografia Break Down and Let it All Out, escrita por Sylvia Hampton e David Natha, em 2004. 

Reprodução / Acervo
Reprodução / Acervo

 

DISCOGRAFIA

Sua discografia é extensa e extremamente valiosa. Incontáveis discos com a participação de Nina Simone foram lançados ao longo das décadas. Sempre cantando e celebrando músicas e gêneros predominantemente negros, desde seu primeiro trabalho sonoro debateu sobre sua luta contra o racismo e pelos direitos civis dos pretos estadunidenses. Simone fazia jazz de olhos fechados e blues tão natural quanto respirar.  

Seu álbum de estreia chama-se Little Girl Blue, foi lançado em fevereiro de 1959, e a faixa “I Loves You Porgy” foi parar nas paradas da Billboard. Simone vendeu os direitos da gravação por apenas US$3 (três dólares) e o disco obteve o rendimento de US$1 milhão. Os feitos do primeiro álbum de estúdio provam o porquê Nina Simone merece ser eternizada no mundo da música, inspirando novos e talentosos cantores da atualidade. 

Com diversos trabalhos lançados pela cantora, muitas pessoas ainda procuram seus mais antigos discos para colecionar e para ouvir, afinal, relembrar Nina Simone, é relembrar os tempos de pureza da música e de toda sua estrutura. Você pode encontrar os discos de Nina Simone por meio da Amazon, adquira já o seu e monte sua coleção da inesquecível estrela da música - https://amzn.to/3sb3ynt


+Saiba mais sobre Nina Simone por meio da Amazon - https://amzn.to/3IuPjzL

++Ouça as incríveis obras sonoras de Nina Simone no Amazon Music. Para acessá-lo, basta se tornar assinante Prime da Amazon por apenas R$9,90 por mês. Além da plataforma de música por streaming, você também garante acesso ao Prime Video, Prime Gaming, Prime Reading, frete grátis na compra de produtos elegíveis, promoções exclusivas e muitas outras vantagens.

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Rolling Stone pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime - https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis - https://amzn.to/2yiDA7W