Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Música / Opinião

Billie Joe Armstrong, do Green Day, analisa volta do emo - e faz piada com My Chemical Romance

Em entrevista para promover Saviors, próximo disco do Green Day, Billie Joe Armstrong analisou retorno da popularidade do emo nos últimos anos

Billie Joe Armstrong (Foto: Daniel Boczarski/Getty Images for Harley-Davidson)
Billie Joe Armstrong (Foto: Daniel Boczarski/Getty Images for Harley-Davidson)

Com o retorno dos festivais de música e shows solo de artistas e bandas após o enfraquecimento da pandemia de covid-19, o movimento emo voltou a ganhar bastante força no mundo todo. Icônico vocalista do Green Day, Billie Joe Armstrong analisou esse retorno - e ainda aproveitou para fazer piada com My Chemical Romance, formada por Gerard Way (vocal), Ray Toro (guitarra principal), Frank Iero (guitarra rítmica) e Mikey Way (baixo).

Durante entrevista ao The Guardian ao lado de Mike Dirnt e Tré Cool, os outros dois integrantes do Green Day, o vocalista foi questionado sobre a opinião deles a respeito atual renascimento do rock dos anos 1990 e 2000. Vale lembrar como a banda também falou sobre o próximo disco de estúdio, intitulado Saviors, que já teve três singles lançados: "The American Dream Is Killing Me," "Look Ma, No Brains!" e "Dilemma."

+++LEIA MAIS: O disco "mais honesto" do Green Day, segundo Billie Joe Armstrong

"Emo estava morto – então, apenas cinco anos depois, estávamos tendo noites em clubes emo," afirmou o Armstrong. "Tipo, você não deveria esperar mais cinco anos por isso? My Chemical Romance acabou! Acho que o streaming e a forma como as coisas se tornam virais agora [alimenta isso]."

"Tem uma banda, os Walters, que se separou há quatro anos e de repente eles têm uma música que está em todo lugar. O mesmo com Deftones – de repente a música deles aparece em todos esses vídeos do TikTok," continuou. "Existe uma nova forma algorítmica de descobrir coisas novas. É realmente predominante no rock e mostra como as pessoas prestam menos atenção ao rádio [e outras plataformas tradicionais]."

+++LEIA MAIS: Entenda a capa de novo álbum do Green Day