Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Christina Aguilera reflete sobre crescer em um lar abusivo: 'O trauma nunca deixa você'

No podcast Call Her Daddy, Christina Aguilera revelou como os anos turbulentos de sua infância a ajudaram durante sua jornada na maternidade

Redação Publicado em 05/04/2023, às 15h30

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Christina Aguilera (Foto: Divulgação)
Christina Aguilera (Foto: Divulgação)

Christina Aguilera se abriu sobre a difícil infância e como os anos turbulentos a ajudaram durante sua jornada na maternidade. A cantora explicou sobre os primeiros sinais de alerta de que estava em um ambiente menos seguro durante uma aparição recente no podcast Call Her Daddy, de Alex Cooper (via Rolling Stone EUA).

Ainda sobre a realidade familiar que viveu na época, Aguilera comenta que “ainda me sinto afetado por isso,” e menciona que esse tipo de trauma jamais abandona as pessoas, “você apenas descobre maneiras de tentar curá-lo.” 

+++ LEIA MAIS: Christina Aguilera trará detalhes da carreira e vida pessoal em documentário

Shelly Fidler Fausto Aguilera, os pais da cantora, se divorciaram quando ela tinha seis anos, após sua mãe sofrer seguidas agressões físicas cometidas pelo pai, que sofria de distúrbios de sono. Shelly, no entanto, demonstrava estar infeliz no casamento ao levar Christina e a irmã Rachel em passeios noturnos entre a Pensilvânia e Nova Jersey - logo após as discussões com Fausto.

Houve algumas idas e vindas. Há sempre o puxão de como, 'Eu nunca vou fazer isso de novo'. Existe conversa fiada envolvida. Há muita vergonha também em perguntar: 'Bem, por que você simplesmente não vai embora?'. É muito mais complicado do que isso.”

+++ LEIA MAIS: Christina Aguilera elogia inovação de Anitta: 'Não tem medo de críticas'

Aguilera ainda desabafa sobre a sensação de impotência em situações de violência contra à mulher, uma vez que, nem sempre, "quando você liga para as autoridades, você não consegue a ajuda de que precisa - e então a porta se fecha e você está com seu abusador novamente."

É muito importante tentar pesquisar tudo o que puder, falar com pessoas em quem você pode confiar e realmente tentar sair da situação. Porque, na pior das hipóteses, você não viverá para contar a história sobre isso.”

Falar contra o abuso e a violência doméstica ajudou Aguilera em sua jornada de cura, que ela disse que pode ser marcada por sentimentos complexos de raiva antes de dar lugar à liberação. “Demora muito para uma mulher deixar essas situações também, e meu coração dói porque algumas delas não saem”.

+++ LEIA MAIS: Britney Spears: Christina Aguilera demonstra apoio à cantora: 'Não poderia estar mais feliz por ela'

Mesmo agora, a estrela de “Your Body” admitiu que as menores coisas, como certas cenas de filmes, podem desencadear uma resposta traumática nela. O impacto prolongado também a tornou profundamente protetora de seus próprios dois filhos, principalmente de sua filha.

“É um colapso mental da autoestima. Você começa a acreditar na narrativa e no abuso verbal de outra pessoa contra você, e a autoestima é algo que pode quebrar facilmente, mesmo para a executiva mais poderosa. Não importa o que você faz,” ela explicou. “Podemos subir no palco e ter essas personas grandiosas, mas basta que você acredite na narrativa negativa de alguém sobre você. É por isso que sou tão inflexível com minha filha... pensando coisas do tipo 'a primeira vez que alguém bate em você, a primeira vez que alguém faz você se sentir mal consigo mesma'”.

Ouça o episódio de Call Her Daddy, de Alex Cooper, com a participação de Christina Aguilera na íntegra abaixo: