Pulse

20 anos de Matrix, o filme que mudou a ficção científica nos cinemas

Escolher a pílula azul ou a pílula vermelha?

Redação Publicado em 31/03/2019, às 13h00

None
Keanu Reeves como Neo (Foto:Reprodução)

Há 20 anos estreou no cinema Matrix, o primeiro filme da trilogia que viria a impactar para sempre o mundo dos filmes de ficção científica.

Dirigido pelas irmãs Lana e Lilly Wachowski, a odisseia enfrentada pelo Sr. Anderson, ou Neo, O Escolhido, para se tornar o redentor, arrecadou US$ 463,5 milhões no mundo todo: mais de sete vezes o valor do orçamento de US$ 63 milhões.

Em uma alegoria cyberpunk à história de Jesus, Matrix levou às telonas diversas questões que se concretizariam com o avanço da era digital, além de apresentar influência de autores icônicos da ficção científica como Philip K. Dick e William Gibson.

O filme também levantou questionamentos envolvendo temas como os ideias do cristianismo, gnosticismo, budismo e também de filósofos como Immanuel Kant e o grego Platão

Os sobretudos pretos, as botas parrudas e toda a estética do figurino marcou e influenciou uma geração de amantes de histórias sobre futuros distópicos em que as máquinas eventualmente superam e dominam os seres humanos.

Estrelado por Keanu ReevesLaurence Fishburne e Carrie-Anne Moss, o sucesso deu abertura para a criação de mais dois filmes não tão amados pelos fãs do original: Matrix Reloaded e Matrix Revolutions, além da coletânea de animações Animatrix.

Recentemente, o produtor Lorenzo di Bonaventura revelou quais foram os atores que estavam na lista para interpretar o protagonista, e Reeves não foi nem de perto a primeira opção.