Atirador de Ohio tinha banda de metal e cantava sobre estuprar e matar mulheres

O atentado que deixou nove mortos aconteceu na madrugada do último domingo, 4

Redação Publicado em 06/08/2019, às 09h19

None
Homenagens aos mortos no atentado de Dayton, Ohio (Foto:Barbara J. Perenic/The Columbus Dispatch via AP)

De acordo com as informações reveladas pela Vice, Connor Betts, responsável pelo tiroteio em massa que matou nove pessoas na cidade norte-americana de Dayton, no estado de Ohio, já dava indícios de simpatizar com comportamentos violentos e misóginos.

O atentado aconteceu na madrugada do último domingo, 4, mas ao longo do último ano, o assassino já cantava sobre matar e estuprar mulheres com a banda Menstrual Munchies. Para se ter uma ideia, um dos seus discos se chama 6 Ways of Female Butchery ou, em tradução livre, 6 jeito de esquartejar mulheres. 

(Crédito da foto: Dayton Police Department/AP)

As capas dos álbuns são igualmente perturbadoras. Nelas são colocadas imagens de estupro e corpos femininos massacrados.

O grupo era adepto de um estilo musical bem específico, conhecido como "pornogrind", um sub-gênero do metal (dominado por homens) obcecado por temas como violência sexual, morte e a desumanização da imagem da mulher.

Desde a matança, Jesse Creekbaum, companheiro de banda de Betts, retirou as músicas que fizeram da internet (se é que é possível apagar algo por definitivo do mundo cibernético), para evitar que o assassino e as canções ganhem um "status cult".

Connor Betts foi morto por policiais no local onde cometeu a chacina.

LISTA: 13 segredos de 'Ladrão', o terceiro disco do Djonga e um dos melhores de 2019