Baterista da banda de tributo ao Korn sofre AVC no palco, mas continua a tocar; assista

Alex Headen pensou que estava com pressão baixa e não largou as baquetas até que a música terminasse

Redação Publicado em 01/07/2019, às 11h51

None
Alex Headen (Foto: Facebook/Reprodução)

A banda Korn Again (que pelo nome já deixa claro ser um tributo ao Korn) se apresentou no festival Rockstock, em Stockport, na cidade de Manchester que aconteceu no fim de maio. No meio do show, o baterista Alex Headen, de 28 anos, sofreu um AVC e continuou tocando “Helmet in the Bush”.

Durante a faixa, o lado esquerdo do corpo do músico ficou dormente e a sua visão turva. "Continuei a tocar só com o braço direito, mas depois perdi a visão no meu olho esquerdo. Quando a canção acabou, desmaiei em cima da bateria", contou à revista Kerrang!.

+++ Por que Paul McCartney escreveu "Hey Jude" para o filho de John Lennon?

Headen achou que aquilo fosse um mero caso de pressão baixa, ou que simplesmente estava desidratado: "Pensei que, se pudesse acabar de tocar aquela música, podia beber um refrigerante ou comer qualquer coisa.”

Por isso, ele se recusou a desistir no meio, até que, ao finalizar, desmaiou e foi levado imadiatamente para o hospital.

Depois de seis meses na Korn Again, Alex Headen dará espaço para que outra pessoa assuma o seu lugar enquanto se recupera.

Após o incidente, ele passou uma semana internado e contou estar nervoso pelo resultado dos exames, que ainda não revelaram a causa do AVC. Mesmo assim, tem mantido uma rotina constante de exercícios para reeducar o lado esquerdo do seu corpo.

"Já consigo andar bem melhor. Estou com dificuldade para usar meu braço esquerdo e meu ombro, mas progredi bastante nas últimas semanas", contou Headen. "Tenho muita sorte que os médicos estavam por perto e me ajudaram".

Assista ao vídeo abaixo:

Korn anunciou na última quarta, 26, o lançamento de seu 13º disco de estúdio. The Nothing será lançado no dia 13 de setembro deste ano, pela Roadrunner/Elektra. 

 

+++ De Emicida a Beyoncé: Drik Barbosa escolhe os melhores de todos os tempos