Bob Dylan receberá o Prêmio Nobel de Literatura neste fim de semana

A Academia Sueca encontrará o artista para entregar a medalha e o diploma, ainda que ele não faça o discurso de aceitação

Rolling Stone EUA Publicado em 29/03/2017, às 10h58 - Atualizado às 14h05

O cantor e compositor Bob Dylan durante show em 2010

Ver Galeria
(3 imagens)

Bob Dylan receberá formalmente o Prêmio Nobel de Literatura neste fim de semana em Estocolmo, na Suécia. “A Academia Sueca está muito ansiosa para o fim de semana”, a representante da honraria, Sara Danius, escreveu em um comunicado nesta quarta, 29.

“A boa notícia é que a Academia Sueca e Bob Dylan decidiram se encontrar. A Academia entregará a Dylan o diploma e a medalha do Nobel, além de parabenizá-lo pelo Prêmio Nobel de Literatura. A cerimônia será pequena e íntima, e a imprensa não estará presente; apenas Bob Dylan e membros da Academia comparecerão, de acordo com as vontades de Dylan.”

LEIA TAMBÉM

Em entrevista de 1962, Bob Dylan, então com 20 anos, fala sobre começo da carreira

Minidocumentários contam a história das capas de discos de Bob Dylan

Com nova cover de Frank Sinatra, Bob Dylan anuncia álbum triplo de versões

Todo vencedor do Nobel deve dar um discurso dentro do campo de especialidade dele – essas palestras/conferências geralmente acontecem na semana da entrega do Nobel, em dezembro, ou pelo menos seis meses depois da honraria concedida. Dylan, no entanto, não fará o discurso neste fim de semana. Em vez disso, ele fará uma versão gravada “em um outro momento”, o que é permitido pela Academia.

Depois de Dylan inicialmente não reconhecer o inesperado Prêmio Nobel em dezembro – um membro da Academia Sueca escreveu que o cantor estava agindo de forma “mal educada e arrogante” – ele eventualmente disse, sobre a honraria: “Inacreditável, incrível. Quem sonha com algo assim?”

Dylan depois entrou em contato com a Academia Sueca e, apesar de não poder comparecer à cerimônia por problemas na agenda, escreveu um discurso que foi lido no evento por Azita Raji, embaixador dos Estados Unidos na Suécia. Patti Smith também apresentou um tributo a Dylan no evento.

“Mas há algo que eu devo dizer. Como músico, já toquei para 50 mil pessoas e para 50 pessoas, e posso dizer que é mais difícil tocar para 50 pessoas. 50 mil pessoas têm uma persona singular, 50 nem tanto”, Dylan escreveu. “Cada pessoa tem uma identidade individual e separada, um mundo nela mesma. Elas podem perceber as coisas mais claramente. Sua honestidade e como ela se relaciona com a profundidade de seu talento é testada. O fato do comitê do Nobel ser tão pequeno não passou despercebido por mim.”