Pulse

Cardi B conta que drogava e roubava homens que ofereciam dinheiro para transar com ela

Em uma transmissão ao vivo no Instagram, a artista contou sobre as dificuldades que enfrentou para sobreviver

Redação Publicado em 26/03/2019, às 11h00 - Atualizado às 11h19

None
Cardi B na 61ª edição do Grammy Awards (Foto: Jordan Strauss / Invision / AP)

No último final de semana, em uma transmissão ao vivo em sua conta no Instagram, a estrela de ''Bodak Yellow'' respondeu às críticas de pessoas que questionam o seu sucesso.

Ao se lembrar de como era trabalhar como stripper, Cardi B contou sobre as dificuldades que enfrentou para sobreviver quando homens queriam dormir com ela. 

''Eu drogava e roubava todos. Isso é o que eu costumava fazer.'' 

Enquanto a cantora contava a sua história, imediatamente, fãs provocaram no twitter a hashtag #SurvivingCardiB que virou um dos assuntos mais falados na rede social.

+++ Além de Cardi B, Rock in Rio terá Goo Goo Dolls e Tenacious D

Na mesma transmissão, ela contou que está planejando escrever um livro de memórias.  

''Eu sou uma pessoa de bom coração, mas fiz coisas erradas. Vocês não precisam se preocupar com isso. Vocês não tem que contar a minha história.''

+++ Foo Fighters e Weezer também serão atrações do Rock in Rio 2019

Ela completa: ''Quer saber por que você não tem que contar a minha história? Porque eu vou escrever um livro sobre a minha vida. Eu passei por muita coisa. Eu tenho sido uma vadia desde jovem. Eu fui influenciada pelas ruas.''

Na última semana, a cantora foi anunciada para estrelar no filme Hustlers ao lado de Constance Wu e Jennifer Lopez. 

Escrito e dirigido por Lorene Scafaria, Hustlers é ambientado na cidade de Nova York, após a crise financeira de 2008, e conta a história de um grupo de strippers que se junta para dar golpes em seus clientes de Wall Street. A narrativa é baseada no artigo The Hustlers at Scores, de Jessica Pressler, para a revista New York Magazine de 2015.

Algoritmo da Vida: novo projeto da Rolling Stone Brasil busca sintomas de depressão mas redes sociais para prevenção do suicídio: