Condenado a prisão domiciliar, Phil Rudd é detido novamente pela polícia na Nova Zelândia

No início de julho, o ex-baterista do AC/DC foi sentenciado a oito meses de reclusão

Rolling Stone EUA Publicado em 20/07/2015, às 10h22 - Atualizado em 10/08/2015, às 11h39

Phil Rudd
Alan Gibson/AP

Dez dias depois de ter sido condenado a oito meses de prisão domiciliar ao assumir a culpa por ameaçar duas pessoas de morte e por posse de drogas, Phil Rudd, baterista do AC/DC, foi novamente detido pela polícia neste domingo, 19, na Nova Zelândia.

Galeria: "Relembre 10 casos de músicos que foram parar atrás das grades.

O advogado do artista, Craig Tuck, e a polícia local não quiseram revelar o motivo da ação. Ele já está solto depois de ter pagado fiança e, no dia 3 de agosto, deverá se reapresentar ao júri.

Assista ao último show do AC/DC com Malcolm Young.

O músico se declarou culpado em 9 de julho deste ano por ameaçar matar um ex-empregado dele e a filha de dez anos do funcionário e por posse de metanfetamina e maconha.

O juiz responsável pelo caso afirmou na época que Rudd seria monitorado durante 24 horas por dia e que, caso violasse as determinações legais, seria levado em custódia. “Eu garanto que você irá à prisão caso não colabore. Não sou seu diretor de uma escola de ensino fundamental, muito menos sou o seu pai, eu sou um juiz”.

Vídeo em homenagem a Malcolm Young usa o rock para tocar doentes mentais.

O baterista, único integrante do AC/DC nascido na Austrália, se mudou para Nova Zelândia em 1983 após abandonar o grupo, mas retornou à formação em 1994, deixando-a novamente em 2015. Chris Slade atualmente ocupa o lugar dele. O AC/DC também perdeu no ano passado o guitarrista Malcolm Young, obrigado a se afastar por problemas mentais. Os veteranos estão em turnê com o novo disco Rock or Bust, do final de 2014.