Documentário sobre Eduardo Coutinho estreia na próxima quarta, 25, em São Paulo

Longa dirigido por Carlos Nader inverte a lógica e coloca o ícone do cinema nacional, morto em 2014, diante da câmera

Redação Publicado em 23/03/2015, às 18h49 - Atualizado às 19h26

Documentarista em Eduardo Coutinho, 07 de Outubro
Reprodução/vídeo

Responsável por obras de arte do documentário brasileiro como Cabra Marcado para Morrer, Edifício Master, Jogo de Cena e Peões, chegou a hora de Eduardo Coutinho ser retratado pelas câmeras que usou como sensível gravador da realidade em 80 anos de vida, até ser morto em 2014, no Rio de Janeiro.

Documentário inédito de Eduardo Coutinho abrirá festival É Tudo Verdade.

Nesta quarta-feira, 25, no Espaço Itaú, em São Paulo, estreia Eduardo Coutinho, 07 de Outubro, do diretor Carlos Nader.

Retrospectiva 2014: artistas e personalidades que perdemos ao longo do ano.

A data faz menção ao dia em que ocorreu a entrevista que dá origem ao filme. O método (e também a equipe de filmagem) utilizado foi o mesmo de Coutinho, nada espalhafatoso, um banco, olho no olho e a forma única de extrair o que o entrevistado tem a dizer.

Cinema brasileiro é destaque na França nas próximas semanas.

Naquele 7 de outubro, Coutinho falou sobre a revolucionária técnica de documentário criada por ele e se lembrou de personagens e histórias de quase meio século de trabalho cinematográfico.

“Coutinho criou a partir de 1997 um cinema em que a única imagem é a de uma pessoa sentada à frente da câmera, falando. Esse movimento radical, de um essencialismo que a história possivelmente lembrará como similar ao suprematismo de Kazimir Malevich ou à Bossa Nova de João Gilberto, é o tema central do documentário”, explica Nader.

“Em 2013, pedimos que Carlos Nader dirigisse um documentário para homenagear um programa no qual o Sesc foi pioneiro no Brasil: o Trabalho Social com Idosos, que completava 10 anos. Nader, com uma câmera a postos e uma excelente ideia, pensou em fazer um documentário sobre o maior documentarista do Brasil. Claro que não tínhamos ideia que uma tragédia ocorreria com ele. Aos 80 anos, Coutinho era o melhor exemplo de uma velhice arguta, sem ser pessimista ou censor de novas tendências”, comenta Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo.

O projeto Eduardo Coutinho, 07 de Outubro foi lançado há cerca de um ano pelo Selo Sesc, no CineSesc, abrindo a 14ª Retrospectiva do Cinema Brasileiro, com mais de 100 filmes nacionais exibidos no circuito comercial paulista.

A exibição desta quarta-feira, em São Paulo, será seguida de um bate-papo com o diretor do longa-metragem. A partir da quinta, 26, a obra poderá ser assistido nas salas Espaço Itaú de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba e Brasília.

O DVD do filme está à venda desde esta segunda-feira, 23, nas unidades do Sesc e pelo site do Sesc. a RS 30.

Lançamento de Eduardo Coutinho, 07 de Outubro

Espaço Itaú 1 – Rua Augusta, 1.475, São Paulo-SP

Data: 25 de março

Horário: 20h, com bate-papo após a exibição

Grátis – Retirada dos ingressos com uma hora de antecedência

Sujeito à lotação da sala