Estratégia do Rage Against the Machine anula cambistas e arrecada 3 milhões de dólares para caridade

De acordo com o guitarrista Tom Morello, "100% do lucro sob o 'valor base' de cada ingresso vai para instituições sem fins lucrativos"

Redação Publicado em 18/02/2020, às 14h01

None
Zack de la Rocha, Tim Commerford e Tom Morello, membros do Rage Against The Machine (Foto: AP Images / Branimir Kvartuc)

O Rage Against The Machine adotou uma estratégia exclusiva de vendas de ingressos, que resultou em quantidades reduzidas de cambistas e arrecadou mais de US$ 3 milhões para instituições de caridade em 48 horas.

+++ LEIA MAIS: Rage Against the Machine é confundida por gótica e adolescentes reclamam em festival; veja

Recentemente, a banda, que será headliner do Reading & Leeds Festival, anunciou uma turnê de reunião pela América do Norte e Europa, e os shows apresentaram uma grande demanda de ingressos.

Para combater o lucro dos cambistas, o Rage Against the Machine comunicou: "Estamos reservando 10% dos assentos (assentos aleatórios em cada local) para vender por um preço maior (menor o suficiente para diminuir onúmero de cambistas). Doaremos 100% DO DINHEIRO acima do valor base do ingresso para instituições de caridade e organizações sem fins lucrativos EM CADA CIDADE."

Assim, alguns ingressos começaram a ser vendidos por mais de US$ 1 mil e parte do público achou o preço um pouco obsceno. Em resposta, o guitarrista Tom Morello respondeu: "10% de todos os nossos ingressos está reservado para caridade. 100% do lucro acima do preço base de cada ingresso vai para instituições de caridade daquela cidade (...) Mais de US$ 3 milhões foram arrecadados nas primeiras 48 horas", escreveu Tom Morello no Twitter.

+++ LEIA MAIS: Tom Morello escolhe suas 20 músicas favoritas do Led Zeppelin; ouça playlist

Veja a publicação abaixo:

+++ LEIA MAIS: Rage Against the Machine confirma volta e anuncia 5 shows para 2020; veja as datas


+++ SESSION ROLLING STONE: RUBEL TOCA MANTRA