Ex-Van Halen, Sammy Hagar explica comentário 'Todos precisamos morrer' ao falar sobre volta de show em meio à pandemia

"Trata-se de voltar ao trabalho de forma segura e responsável e fazer com que essa economia volte a funcionar", disse

Andy Greene, Rolling Stone EUA Publicado em 25/06/2020, às 19h35

None
Sammy Hagar (Foto: Suzanne Cordeiro/Shutterstock/Rolling Stone EUA)

No início de maio, Sammy Hagar, ex-integrante do Van Halen, falou com a Rolling Stone EUA sobre a vida na quarentena. O músico disse que estava respeitando as medidas de bloqueio e levando-as muito a sério. No entanto, estava ansioso para voltar ao palco assim que fosse seguro.

"Não vou espalhar a doença", disse ele. “Mas pode haver um momento em que temos que sacrificar. Quero dizer, quantas pessoas morrem na Terra todos os dias? Eu não faço ideia. Lamento dizer, mas todos temos que morrer, cara."

+++LEIA MAIS: Van Halen teve medo do Nirvana e do surgimento do grunge, admite vocalista

Os comentários não geraram muita confusão quando na época da publicação, mas reapareceram no início desta semana em outro artigo, onde o site compilou declarações sobre a quarentena de 14 artistas.

Elas foram retiradas no HuffPost e depois divulgadas em toda a Internet como se fossem novas. Por isso, Hagar comentou sobre o assunto na conta oficial do Facebook para colocar tudo isso em contexto. Leia a mensagem na íntegra:

+++LEIA MAIS: David Lee Roth e irmãos Van Halen sempre se odiaram, afirma vocalista

"Ei, Sammy aqui. No início da semana, a Rolling Stone EUA publicou uma compilação de suas séries de perguntas e respostas sobre quarentena. Eu fiz essa entrevista em 8 de maio, quando já estávamos várias semanas em casa, o que minha família e eu levamos muito a sério, e as coisas começaram a melhorar, a curva estava começando a se achatar. Então, quando me perguntaram se eu ficaria confortável o suficiente para voltar ao palco antes que a vacina fosse lançada, fiquei cautelosamente otimista. Eu disse: 'Sim, não muito cedo. Quero ter certeza de que não está aumentando. Quando estiver em declínio e parecer estar indo embora'. 

Em termos gerais, trata-se de voltar ao trabalho de forma segura e responsável e fazer com que essa economia volte a funcionar. Eu farei minha parte. Eu mantenho isso. Emprego 200 pessoas diretamente e ainda mais quando fazemos mais turnês. Como tudo hoje em dia, é vigiar nos próximos meses, mas continuamos cautelosamente otimistas de que, com as melhorias e medidas de segurança certas, poderemos assistir a shows este ano. Dito isto, à medida que as coisas mudam, para melhor ou para pior, ajustaremos adequadamente nossos planos.

Eu fiz a entrevista há um mês e meio, as coisas mudam muito rápido agora, então eu queria esclarecer e colocar algumas coisas no contexto agora."


+++ A PLAYLIST DO SCALENE