Fantástico: Homem processa TV Globo após exibição de prisão no programa

Após ter a prisão exibida no Fantástico, homem exige da TV Globo indenização de R$ 160 mil

Redação Publicado em 03/03/2022, às 16h28

None
Programa Fantástico (Foto: Reprodução / Globo)

Após ter a prisão exibida no Fantástico, programa da TV Globo, um homem entrou com um processo contra a emissora para receber indenização de R$ 160 mil. Segundo informações do Uol, em agosto de 2020, período o qual recorreu à Justiça, ele estava preso pelos crimes de estelionato e corrupção.

O ex-escrevente técnico judiciário referiu-se a exibição da prisão no programa como algo “irrazoável,” destacando jamais ter sido investigado, denunciado ou condenado por extorsão, organização criminosa, agiotagem e lavagem de dinheiro como os réus da Operação Alquimia, desencadeada pelo Ministério Público.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Fantástico (@showdavida)

+++LEIA MAIS: Marilyn Manson acusa Evan Rachel Wood de difamação após denúncias em documentário

Além disso, o homem afirmou que as imagens da prisão foram filmadas por policiais e a exibição do programa "em rede nacional [...] causou imenso abalo à sua honra e imagem," justificando o cenário como responsável por motivá-lo a entrar com ação contra a emissora.


Resposta da Globo sobre ação contra emissora

A Globo enviou contestação afirmando que as alegações são deturpadas: "A despeito de reconhecer estar preso e já ter sido condenado em 1º grau por diversos crimes, insiste que a reportagem o teria associado à operação de forma inverídica e sensacionalista. Nenhuma indenização cabe no caso concreto."

+++LEIA MAIS: Os Simpsons previram guerra da Ucrânia e Rússia? Showrunner acha ideia 'triste'

A emissora defendeu também que a exibição da reportagem foi por fins jornalísticos, visando o interesse coletivo e cunho informativo, e baseando-se em fontes oficiais asseguradores da consistência material das informações compartilhadas. Apesar disso, o homem segue tentando recursos no processo, com o último apresentado em setembro de 2021.