Gilberto Gil fala sobre política no Brasil: 'Nossos representantes precisam ser substituídos'

Em entrevista à imprensa francesa, Gilberto Gil comentou cortes feitos na cultura durante o mandato do presidente Jair Bolsonaro; confira

Redação Publicado em 25/10/2021, às 15h31

None
Gilberto Gil (Foto: Fernanda Tiné)

O músico Gilberto Gil está em Paris, França, para se apresentar na Filarmônica da cidade e foi destaque nos principais meios de comunicação franceses: o jornal Le Monde e a revista Télérama. Aos veículos, o brasileiro falou sobre a política atual do Brasil e disse que "nossos representantes precisam ser substituídos." 

"Bolsonaro ignora todas as necessidades culturais dos brasileiros.", afirmou Gilberto Gil ao Télérama sobre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ter feito cortes drásticos na área de cultura, reduzindo o ministério a uma subsecretaria. "Ele também não entendeu a necessidade para a nossa sociedade de se abrir ao mundo. Nossa diplomacia tem que ser completamente repensada, nossos representantes precisam ser substituídos," completou. 

+++ LEIA MAIS: Gilberto Gil, Emicida e Majur lideram lineup do Queremos! Festival 2022; veja data, local e mais detalhes

Gil, que foi ministro da Cultura entre 2003 e 2008 durante o governo do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, disse também que, aos 79 anos, continua batalhando pela melhoria da cultura no Brasil. "Minha missão como artista é de encorajar essa tomada de consciência. E hoje diversos artistas se dedicam a essa missão comigo," relatou ele. 

Considerado o "Rei do Tropicalismo", o cantor relembrou seus feitos de quando atuava na política: "Durante meu mandato, mais de 3 mil locais de cultura, com material multimídia e acesso à internet, foram inaugurados, especialmente nas favelas e nas comunidades indígenas da Amazônia: apenas por esse projeto, meus cinco anos no ministério valeram a pena."

+++ LEIA MAIS: Breve Festival 2022 anuncia line-up: Racionais MC's, Pitty, Ney Matogrosso, Djonga e mais

Nesta segunda, 25, Gilberto Gil se apresenta "em família" na Filarmônica de Paris ao lado dos filhos Ben e João, e pela primeira vez ao lado da neta Flor Gil. Em novembro, como informa o Télégram, o brasileiro retorna à capital francesa para apresentar a ópera-musical Amor-Azul

As informações são do UOL.