Integrantes da comunidade de Super Smash Bros. são acusados de assédio sexual

As denúncias recentes fazem parte de uma tendência crescente que vem varrendo a indústria de games nos últimos tempos

Redação Publicado em 05/07/2020, às 15h00

None
Super Smash Bros. Ultimate (Foto: Facebook / Reprodução)

Nas últimas semanas, a comunidade internacional de Super Smash Bros. recebeu inúmeras denúncias públcias de assédio sexual no Twitter. A notícia foi dada pelo site Evening Standard.

+++LEIA MAIS: O que a Netflix mudou na história de Castlevania - e porque achamos que ficou melhor que os games

Jogadores profissionais (conhecidos como "proplayers"), tem sido expostos nas redes sociais, como parte de uma tendência crescente que vem inundando a indústria de games de um tempo pra cá.

Jogadores, empresas, streamers e YouTubers foram acusados de comportamentos impróprios, que variam de má conduta sexual a diversos tipos de abuso em locais de trabalho.

+++LEIA MAIS: Tudo o que queremos ver na série de The Last of Us da HBO: Drama, monstros e humanidade

Agora, as denúncias mais recentes envolvem a comunidade de Super Smash Bros., que não é administrada pela Nintendo, mas pelos próprios membros.

No Twitter, Nairo foi acusado de agressão sexual e tentativa de suborno pelo usuário Zack "CaptainZack" Lauth, que, conforme o depoimento, tinha apenas 15 anos. Segundo o Evening Standard, Nairo admitiu a acusação. 

+++LEIA MAIS: Universo dos Games: como evoluiu a representatividade negra - se é que evoluiu?

Já o comentarista Richard "Keitaro" King, aos 29 anos, foi acusado de fazer sexo com Shiva, de 16 anos, durante uma festa em junho de 2018, enquanto ela estava bêbada. Posteriormente, ele admitiu o ocorrido.

Enquanto isso, na última sexta, 3, a Nintendo divulgou um comunicado em resposta às recentes alegações de agressão sexual, assédio e outras ações na comunidade de Super Smash Bros., condenando esses atos em apoio às vítimas.

+++LEIA MAIS: EndeavorRX é o primeiro game a ser legalmente aprovado como 'remédio'; conheça

“Na Nintendo, ficamos profundamente assustados com as denúncias feitas contra membros da comunidade competitiva de jogos”, disse a empresa à IGN (via Dot Esports). “Isso é absolutamente inadmissível. Queremos deixar claro que condenamos todos os atos de violência ou assédio, e que estamos ao lado das vítimas.” 

 


+++ RAEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO