James Hetfield, do Metallica, comenta vício em drogas: “Fiz coisas vergonhosas”

Cantor e vocalista passou sete meses internado em uma clínica de reabilitação durante 2001

Rolling Stone EUA Publicado em 23/02/2015, às 13h04 - Atualizado às 15h47

James Hetfield - Metallica
Paul A. Hebert/AP

“Você não gostaria muito de mim se conhecesse minha história, se soubesse das coisas horríveis que eu fiz.” A frase é de um dos artistas mais queridos do mundo do rock and roll, James Hetfield, vocalista do Metallica. Vítima da dependência alcoólica e química, ele foi internado por sete meses em uma clínica de reabilitação, em 2001.

Metallica está trabalhando em disco de inéditas.

Hoje abstêmio, Heitfield passa adiante a experiência de vida para tentar evitar que outros jovens repitam a mesma trajetória.

Metallica quase demitiu Lars Ulrich em 1986, diz guitarrista do Anthrax.

“Eu tive a oportunidade de compartilhar em grupo todas as coisas horríveis que eu fiz. Coisas vergonhosas, extremamente vergonhosas, sombrias”, declarou ele à ONG Road Recovery, em entrevista que foi publicada no site da revista Revolver.

Metallica lança linha de esquis personalizados.

Segundo o cantor e vocalista, fazer parte Metallica foi um remédio precioso contra as drogas. “Fazer música salvou minha vida. E continua salvando todos os dias. Quando eu componho um riff, escrevo algumas letras, coisas do tipo. É uma forma de me conectar com o mundo.”

Ouça o trecho da entrevista em inglês: