Nirvana: ‘Mistura de punk com Beatles’, diz João Gordo sobre Nevermind

Vocalista João Gordo, da banda punk Ratos de Porão, relembrou o impacto que o disco Nevermind, do Nirvana, teve no Brasil

Itaici Brunetti Publicado em 24/09/2021, às 16h19

None
João Gordo e Kurt Cobain em São Paulo (Foto: arquivo João Gordo)

Lançado em 24 de setembro de 1991, há 30 anos, o disco Nevermind, da banda Nirvana, teve grande impacto na música mundial, inclusive aqui no Brasil. Os músicos brasileiros "chaparam o coco" ao ouvir o segundo trabalho do trio de Seattle, e João Gordo, do grupo punk Ratos de Porão, foi um deles. 

Em entrevista de 2013, para o site da revista Noize, João Gordo comentou sobre Nevermind: "Eu já curtia Nirvana, mas passei a curtir mais depois do Nevermind. O Bleach era legal, mas não era o tipo de som que eu curtia né, a partir do Nevermind passei a gostar mais." 

+++ LEIA MAIS: Nirvana: 7 curiosidades sobre Nevermind; baixa expectativa, plágio e briga com diretor de clipe [LISTA]

O vocalista do Ratos de Porão prosseguiu: "Ninguém estava na expectativa [do lançamento de Nevermind], ninguém esperava nada de capa foda, gravação foda, músicas fodas. O grunge ainda era uma novidade, então, eu não estava na expectativa de porra nenhuma. Mas foi uma surpresa geral e foi o último mainstream legal que teve no mundo." 

O vocalista, atualmente com 57 anos, também relembrou quando escutou o disco pela primeira vez. Na época, ele tinha 27. "Ouvi na casa de um amigo repórter e achei as músicas porradas e fortes. Na minha cabeça, era uma mistura de punk com Beatles. Era muito mais legal que o primeiro [álbum], que era pesadão, aquela coisa mais crua. Nevermind era mais melódico, mais bem tocado." 

João Gordo também ressaltou o impacto da capa de Nevermind, que apresenta o bebê Spencer Elden, aos 6 meses de idade, dentro de uma piscina tentando pega uma nota de 1 dólar. "A primeira vez que eu vi achei do caralho esse bebê. Como se fosse um peixe sendo fisgado por uma nota de 1 dólar, cara. Não tem mais o que falar daquela capa."

João Gordo e o Nirvana

João Gordo conheceu Dave Grohl antes do baterista entrar no Nirvana. O Ratos de Porão e a antiga banda de Grohl, Scream, tocaram juntas em turnê pela Europa. No entanto, foi em 1993, quando o Nirvana veio ao Brasil para dois shows no festival Hollywood Rock, que o laço entre o brasileiro e os ídolos grunge se fortaleceu. 

O ícone punk brasileiro entrou em contato com Dave Grohl e ficou de "rolê" por São Paulo com Kurt Cobain e Courtney Love. Gordo ainda levou o casal para conhecer a noite paulistana após o show do Nirvana e, segundo relata o próprio, todos estavam regados a muitas drogas. 

+++ LEIA MAIS: Nirvana: Bebê da capa de Nevermind pede para genitália não ser usada em edição de 30 anos

Na entrevista para a Noize, João Gordo contou ter comprado o Nevermind em vinil na época e "escutado tanto Nirvana até encher o saco". Ao ser questionado qual é a maior lembrança que tem do lançamento do disco, ele respondeu: "Cocaína. Era uma época zoada."

As informações são da Noize