O Gambito da Rainha é a série da Netflix que você precisa assistir: trama viciante, personagens eletrizantes e mais

Vencedora do Emmy 2021, O Gambito da Rainha mostrou grande potencial desde o lançamento na Netflix em outubro de 2020

Malu Rodrigues I @amalu.rodrigues Publicado em 27/10/2020, às 19h54 - Atualizado em 20/09/2021, às 10h56

None
O Gambito da Rainha (Foto: Reprodução)

O Gambito da Rainha um dos melhores lançamentos do streaming em 2020. A série chegou na Netflix em outubro de 2020 e, com apenas sete episódios, conquistou espectadores ao redor do mundo.

Criada por Scott Frank e Allan Scott, é baseada no livro homônimo escrito por Walter Tevis em 1983. Na minissérie somos levados para o mundo do xadrez. E quem pensou que as partidas seriam demoradas e chatas, não poderia estar mais errado.

+++ LEIA MAIS: 6 séries de comédia dramática subestimadas da Netflix para você maratonar [LISTA]

No centro da história, que se passa nos anos 1950 e 1960, está Beth Harmon (Anya Taylor-Joy), uma órfã prodígio do xadrez, que aprende a jogar com o singelo Sr. Shaibel, o zelador do orfanato que ela mora. Acompanhamos a jovem desde os 8 anos até os 22. Enquanto ela tenta se tornar a melhor jogadora do mundo e enfrentar mestres do esporte, também lida com o próprio problemas com substâncias (herdados da época do orfanato) e a vida pessoal.

O Gambito da Rainha é uma narrativa incrível e viciante. O roteiro rápido deixa tudo ainda mais intrigante, principalmente quando vemos as partidas rápidas de xadrez entre os personagens. Dentro desse universo, existe algo mais angustiante e prazeroso do que ver as peças em movimento constante? Acho que não.

+++ LEIA MAIS: Como as séries de TV reinventam o gênero de comédia romântica tão datado dos cinemas? [ANÁLISE]

Com muito cuidado, os escritores representam, por meio do xadrez, alguns sentimentos e vivências de Beth. Como a própria protagonista revela na minissérie, o xadrez é um espaço que ela tem total controle quando jovem. É o escape dela para um mundo que ela pode controlar.

Quando ela cresce, o xadrez se torna um espaço de mil possibilidades. É uma representação da interação social, um espaço de fazer amigos e até de flertar. Fora das metáforas, o público fica igualmente triste quando uma personagem querida perde, feliz quando ganha e sente um certo prazer quando oponentes poderosos se enfrentam.

+++ LEIA MAIS: Gostou de Enola Holmes? Conheça Caçadoras de Recompensas, série da Netflix

Em um esporte dominado por homens, Beth é uma figura eletrizante e complexa. Interpretada pela incrível Anya Taylor-Joy na adolescência e vida adulta, a jovem é enigmática, sagaz e completamente caótica. O retrato dos altos e baixos da personagem ao lidar com o vício e a própria genialidade é feito com muita cautela.

Além de Beth, todos os outros personagens são cativantes no próprio estilo, o que foi uma surpresa gentil. Os visuais e cenários são outros dois elementos de destaque da minissérie, que não deixa de ser elegante nem por um segundo.

+++ LEIA MAIS: 12 séries incríveis - e dignas de maratona - lançadas em 2020 [LISTA]

O Gambito da Rainha é brilhante e emocionalmente intenso. A jornada pelos sete episódios é uma experiência pungente e satisfatória. A produção da Netflix é incrível, com um passo fantástico e uma narrativa visceral. Certamente um 'devo assistir'.

Logo após o lançamento na Netflix, a Rolling Stone Brasil previu que não seria uma surpresa se O Gambito da Rainha recebesse prêmios importantes em 2021. A previsão se concretizou e a produção levou estatuetas principais no Globo de Ouro, SAG Awards e Emmy Awards.

Assista ao trailer:


+++ BK' | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL