Por que Naruto ficou muito mais fraco depois de adulto?

No anime dos anos 1990 de Masashi Kishimoto, Naruto Uzumaki se tornou o maior ninja do mundo

Redação Publicado em 28/09/2020, às 18h51

None
Naruto clássico (Foto: Reprodução via IMDB)

No anime dos anos 1990 de Masashi Kishimoto, Naruto Uzumaki se tornou o maior ninja do mundo. Ao longo da história, o personagem superou o rival de longa data, Sasuke, e provou a força para completar uma jornada.

No entanto, como relembra o ScreenRant, em Boruto: Naruto Next Generations, o público encontra um Naruto adulto enfraquecido.

+++ LEIA MAIS: Os 6 melhores episódios de Naruto clássico, segundo IMDb [LISTA]

Em The Seventh Hokage and the Scarlet Spring, o personagem enfrenta Shin, antigo experimento de Orochimaru em busca vingança. Na luta, o ninja sofreu danos, que também interferiram em batalhas posteriores.

Por ele estar adulto, o ScreenRant pontua como o público esperava por uma figura com mais autoridade, que estaria preparada para qualquer situação - mas não foi isso o que aconteceu.

+++LEIA MAIS: Alguém escolheu o elenco perfeito para o live-action de Naruto, e o pôster é incrível; veja

Ao pensar nesse cenário, o site levantou duas razões principais na história para a relativa falta de força de Naruto na sequência da série Boruto. A primeira é que o personagem tem outras responsabilidades, além de aprender novos tipos de combate. O objetivo de Naruto como Hokage é proteger a vila, e isso envolve mais do que lutar. 

Em segundo lugar, o mundo ninja está em uma era de paz, assim, as vilas não focaram tanto no combate. Em Boruto, é explorado como a nova geração não é tão habilidosa quanto a velha guarda.

+++LEIA MAIS: 7 animes que vão ganhar adaptações live-action: Akira, Naruto, Death Note (de novo) e mais

Além disso, o site explica como Naruto não é mais o protagonista da história - Boruto é. Agora, ele é um personagem coadjuvante, por isso, não faria sentido colocá-lo como uma figura tão forte como antes.


+++ MANU GAVASSI: 'SE A MÚSICA SÓ FOR UMA FÓRMULA, É VAZIA E NÃO EMOCIONA' | ENTREVISTA ROLLING STONE