Roberto Alvim é demitido por Bolsonaro após citar Goebbels e música que "mudou a vida de Hitler"

O presidente Jair Bolsonaro comentou o caso no Twitter: "ainda que tenha se desculpado, tornou insustentável a sua permanência"

Redação Publicado em 17/01/2020, às 14h01

None
Roberto Alvim (Foto:Reprodução)

Após a eclosão da polêmica envolvendo um vídeo compartilhado nas redes sociais oficiais da Secretaria Especial da Cultura, Roberto Alvim, secretário da Cultura do governo Bolsonaro, foi exonerado do cargo.

Comentários de repúdio e indignação inundaram a internet assim que o vídeo foi compartilhado, e consequentemente as pessoas perceberam a citação que ele fez a um discurso de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda na Alemanha nazista e braço direito de Hitler.

+++Leia mais: Secretário da Cultura usou trecho de Lohengrin, ópera que "mudou a vida de Hitler" em vídeo; entenda a obra

O presidente Bolsonaro foi ao Twitter para comentar a situação e comunicar oficialmente o desligamente de Alvim da Secretaria de Cultura: "ainda que tenha se desculpado, tornou insustentável a sua permanência".

Ele também aproveitou o momento para afirmar que o governo repudia "ideologias totalitárias e genocidas, como o nazismo e o comunismo, bem como qualquer tipo de ilação às mesmas".

Veja os tuítes abaixo.


+++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 1), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL