Steve Strange, ex-vocalista do Visage, morre aos 55 anos no Egito

Galês foi um dos precursores do movimento neo-romântico, durante os anos 1980

Redação Publicado em 13/02/2015, às 15h24 - Atualizado às 17h24

Ex-vocalista do Visage em Londres, em março de 2013
AP

Morreu nesta quinta-feira, 12, aos 55 anos, Steve Strange, ex-vocalista da banda Visage, vítima de um ataque cardíaco, em Sharm el-Sheikh, no Egito.

Rolling Stone Brasil de fevereiro apresenta reportagem exclusiva sobre a passagem de Bob Marley pelo Brasil.

Visual andrógeno, roupas espalhafatosas e rosto sempre maquiado, o artista de País de Gales marcou época na Grã-Bretanha durante a década de 1980 como um dos precursores do movimento neo-romântico, do qual fizeram parte artistas como Duran Duran e Boy George.

A aparência era mesmo um detalhe primordial para Strange que, segundo a lenda, teria barrado até o líder dos Rolling Stones, Mick Jagger, em uma das casas noturnas da qual foi dono em Londres.

Morre Joe B. Mauldin, baixista do The Crickets.

“Ele rejeitou Jagger porque achou o visual dele muito ‘rock and roll", conta Midge Ure, que tocou com Strange no Visage, à BBC. A recepção teria sido bem diferente nas ocasiões em que David Bowie, que acabou virando um amigo pessoal do galês, tentou a mesma sorte do vocalista do Rolling Stones.

O cantor teve sérios problemas com vício em heroína ao longo da carreira e chegou a ser preso nos anos 1990 depois de roubar uma loja.

Neil Young e Jimmy Fallon (imitando Neil Young) tocam “Old Man”; assista.

“Estou muito triste de ouvir que meu amigo Steve Strange morreu, descanse em paz, companheiro”, escreveu pelo Twitter Billy Idol, outro ícone da década de 1980.

Pela mesma rede social, o vocalista do Duran Duran, Simon Le Bon, prestou uma homenagem, “Deus abençoe a força pioneira do neo-romântico”.