Surtos de covid após festivais nos EUA levantam preocupações de transmissão ao ar livre

Para especialistas, multidões aglomeradas em festivais de música ao ar livre são, provavelmente, responsáveis ​​por novos casos em Michigan e Oregon

Brian Hiatt (Rolling Stone EUA) Publicado em 09/08/2021, às 14h47

None

Autoridades de saúde estão investigando surtos de covid-19 ligados a dois festivais de música ao ar livre realizados em cidades dos estados de Michigan e Oregon, EUA, levantando novas preocupações sobre a segurança de eventos com multidões aglomeradas, conforme shows ao vivo retornam e a variante Delta se espalha.

De acordo com as autoridades, pelo menos 96 casos podem ter vindo do Faster Horses Festival, que aconteceu em Brooklyn, Michigan, de 16 a 18 de julho. Já as autoridades de Oregon estão investigando 62 casos ligados ao Pendleton Whiskey Music Fest , que ocorreu em 10 de julho em Pendleton. Nenhum evento exigiu que os participantes fossem vacinados.

+++LEIA MAIS: Eric Clapton é louco por ser contra vacina, acredita Brian May, do Queen

"Esses eventos são como um aviso”, diz a Dra. Emily Landon, diretora médica executiva de prevenção e controle de infecções do Centro Médico da Universidade de Chicago. Ela também aponta para os inúmeros casos supostamente ligados ao Festival Verknipt, de julho na Holanda, que também foi realizado ao ar livre.

"Acho que estamos descobrindo que importa o que você faz ao ar livre", acrescenta Landon. "E mesmo que as pessoas sejam vacinadas, parece que precisamos ter mais cuidado com eventos superlotados," acrescenta.

No festival Pendleton, onde Toby Keith, Cole Swindell e mais artistas se apresentaram para mais de 10 mil fãs, o rastreamento de infectados confirma que grande parte da transmissão ocorreu em uma área onde as pessoas estavam próximas uma ao lado da outra, de acordo com Joe Fiumara, diretor de Saúde Pública do Condado de Umatilla, em Oregon.

Os organizadores [do festival] dizem que reduziram a capacidade para tentar dar aos fãs espaço para se espalharem com segurança, mas a multidão lotou a frente [dos palcos] mesmo assim. "Nem todos, mas a maioria dos casos foi rastreada até a área do fosso do festival", disse Fiumara

+++LEIA MAIS: Jennifer Aniston não fala mais com amigos que recusaram vacina contra covid-19

Depois da primavera passada, os shows de música ao vivo começaram a crescer nos EUA, mesmo com a variante Delta forçando cancelamentos ou adiamentos de shows, incluindo concertos do Foo Fighters e Fall Out Boy, e impulsionando requisitos de vacinação e outras medidas de segurança. 

Os eventos ao ar livre permanecem muito mais seguros do que os internos, concordam os especialistas. Mesmo nas áreas externas mais congestionadas, os aerossóis não podem se acumular da mesma forma que acontecem dentro de casa, o que reduz enormemente o risco de uma única pessoa contagiosa espalhar covid para muitas pessoas.

Ainda assim, de acordo com o cientista de aerossóis Alex Huffman, professor associado de química e bioquímica da Universidade de Denver, alguns dos benefícios de estar ao ar livre diminuem quando milhares de pessoas ficam próximas, com os rostos colados, especialmente com a variante Delta se espalhando amplamente.

+++LEIA MAIS: Pete Parada, baterista do The Offspring, é expulso da banda por rejeitar vacina contra covid-19

As taxas de vacinação são outro fator crucial para o surto. Apenas 25 das 96 pessoas infectadas relacionadas ao Faster Horses foram vacinadas, de acordo com Chelsea Wuth, oficial de informação pública associada do Departamento de Saúde e Serviços Humanos de Michigan.

As autoridades de Oregon não têm informações específicas sobre o estado de vacinação dos casos vinculados a Pendleton, mas, aproximadamente 50% das pessoas no condado de Umatilla, onde o festival aconteceu, receberam pelo menos uma dose.

"É uma situação lamentável", disse o co-organizador do Pendleton, Dr. Doug Corey, que também é veterinário. Ele observa que o festival seguiu todas as diretrizes governamentais e reduziu a capacidade de 20 mil para 12 mil pessoas. "Esperamos que qualquer pessoa que tenha pego covid esteja melhorando."

Os organizadores do festival Faster Horses recusaram dar entrevista, mas disseram em um comunicado que "trabalharam em estreita colaboração com as autoridades locais para garantir que todas as diretrizes recomendadas fossem seguidas, e que estão incentivando todos os participantes a se envolverem em testes regulares para covid-19 para fazer todo o possível para proteger uns aos outros." 


+++ FIUK: 'TENHO ROCK NA VEIA DESDE CRIANÇA' | ENTREVISTA | RS