Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Documentário sobre Lula está "quase pronto", diz diretor Oliver Stone

Cineasta por trás da produção, Oliver Stone revelou que o filme tentará provar o suposto envolvimento dos Estados Unidos na prisão de Lula

Redação Publicado em 05/12/2022, às 14h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Getty Images)
Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Getty Images)

Responsável por filmes de políticos como Richard Nixon e John Kennedy, o diretor Oliver Stone vem desenvolvendo um documentário sobre Luiz Inácio Lula da Silva. E, em recente entrevista durante o Festival Internacional de Cinema do Mar Vermelho, o cineasta revelou detalhes sobre a produção.

Natural de Nova York, nos Estados Unidos, Oliver Stoneconta com diversos sucessos em seu currículo, desde As Torres Gêmeas (2006), com Nicolas Cage, até Snowden: Herói ou Traidor (2016) e Wall Street: O Dinheiro Nunca Dorme (2020). Vencedor de dois Oscars e dois Globos de Ouro, o cineasta trabalha em um documentário sobre Lula há três anos e diz estar na reta final das gravações.

+++LEIA MAIS: Daniela Mercury afasta rumores sobre Ministério da Cultura: 'Não pretendo'

Foi em recente entrevista ao UOL, durante o Festival Internacional de Cinema do Mar Vermelho, que acontece na Arábia Saudita, que Stone revelou detalhes sobre o documentário. Com 90 minutos de duração, o filme deve acompanhar a trajetória política do petista até sua última eleição em 2022 e deve ser lançado em breve, por volta do primeiro semestre de 2023.

Filmamos quando ele foi solto, na Argentina, no México. Filmamos o processo da eleição também, o dia da vitória, que foi o último dia de filmagem. Acho que para o público internacional vai ser interessante, é um retrato impressionista de Lula", afirmou ele.

+++LEIA MAIS: Lula comemora vitória do Brasil na Copa: "Orgulhoso de vestir a camisa verde e amarela outra vez"

Para Stone, um dos diferenciais da nova produção é a narrativa pensada para o público internacional. “Eu vi Democracia em Vertigem, de Petra Costa. É muito bom, gostei muito. Mas é um filme brasileiro e tem detalhes sobre os quais o público americano ou europeu talvez não estejam interessados. Então, meu documentário é um pouco mais amplo e menos detalhado", explicou.

Por fim, o cineasta afirmou que o documentário ainda busca provar a intervenção direta dos Estados Unidos tanto no impeachment de Dilma Rousseff, quanto na prisão de Lula. "A gente vai até aí, mas não nos aprofundamos muito sobre onde o Departamento de Estado [estadunidense] se intersecciona com Sergio Moro e a direita brasileira. Mas essa foi uma história suja. Mais uma das centenas de crimes que os Estados Unidos cometeram na América do Sul", finaliza Stone.

+++LEIA MAIS: Lula lamenta falecimento de Erasmo Carlos: "Muito além da Jovem Guarda"