'Eu odeio racistas para cara***', diz John Boyega, o Finn de Star Wars, em live sobre violência policial nos EUA

O ator se posicionou sobre o caso George Floyd em várias redes sociais

Redação Publicado em 28/05/2020, às 12h45

None
John Boyega (foto: Getty Images/ Frazer Harrison)

Conhecido por posicionamentos drásticos e sinceros nas redes sociais, John Boyega fez uma série de postagens revoltado após a morte do cidadão americano George Floyd devido à brutalidade de um policial da cidade de Minneapolis. Quando confrontado sobre as opiniões repetidas vezes, o ator se recusou a pedir desculpas ou mudar o discurso.

"Isso simplesmente queima", escreveu o ator no Twitter. “Parece ser um ciclo sem fim. Os assassinos precisam ser acusados ​​severamente. Mesmo diante da morte, esse homem [George Floyd] recebeu empatia zero."

+++LEIA MAIS: John Boyega, ‘sincerão’, admite decepção com filme de Star Wars: ‘Todos seguiram em frente’

"Eu odeio fascistas para cara***" disse Boyega no Twitter após lives no instagram para expressar a revolta. Alguns usuários do Twitter responderam ao ator, argumentando que o racismo nem sempre é de brancos contra pretos. "Eu não ligo".

Depois, respondeu a um usuário nigeriano que disse que terminou com a namorada por que ela odiava brancos:

Mesmo isso não estava alinhado com o que John Boyega estava falando. “Estou falando sobre o racismo do BRANCO no PRETO. O tipo que arruinou o mundo não causa um pequeno término com sua namorada."

+++LEIA MAIS: Projota e outros artistas comentam sobre o Caso João Pedro e o racismo estrutural no Brasil

Obviamente, a palavra "racista" não é definida como "brancos que têm preconceito contra negros". Mas, obviamente, essa nuance não era necessária para as observações de Boyega. Ele estava falando com raiva garantida sobre a tendência horrível que levou ao movimento #BlackLivesMatter.

Boyega observou que a morte de Floyd era apenas mais um exemplo de um homem negro sendo morto por policiais nas ruas enquanto gritava: "Não consigo respirar", referindo-se à morte de Eric Garner em 2014. "Esse é um ciclo contínuo. E apesar de não morar nos estados, sou negro; foda-se isso. Então eu digo novamente: F***-se pessoas brancas racistas. Eu disse o que disse. E se você não gosta, vai chupar um p**. ”


+++ VITOR KLEY | A TAL CANÇÃO PRA LUA | SESSION ROLLING STONE