Evanescence mira em Billie Eilish em novo disco, mas entrega mais do mesmo [REVIEW]

Grupo da cantora Amy Lee lançou "The Bitter Truth", nesta sexta, 26

Itaici Brunetti | @itaicibrunetti Publicado em 27/03/2021, às 10h00 - Atualizado às 10h18

None

Antes do lançamento de The Bitter Truth, novo álbum do Evanescence, a vocalista Amy Lee falou ao site Consequence of Sound sobre as inspirações durante o processo de composição do trabalho e revelou que tem ouvido mais música pop do que rock, em especial a jovem cantora Billie Eilish. 

"Mais do que o estilo dela, que é super sombrio, o que eu realmente amo na Billie Eilish é a autenticidade. Ela é completamente ela mesma. Eu vejo muitas coisas nela que lembram de mim mesma, especialmente quando eu era mais nova", disse Amy Lee ao site sobre inspirações para o disco. 

+++LEIA MAIS: 8 fatos que aprendemos no documentário de Billie Eilish, The World a Little Blurry [LISTA]

The Bitter Truth, o quinto álbum de estúdio do Evanescence, foi lançado nesta sexta, 26, e apresenta o conhecido metal alternativo e gótico que a banda dissemina desde Fallen, disco de estreia e de maior sucesso da banda, lançado no longínquo ano de 2003. O trabalho é repleto de guitarras pesadas, teclados em alto volume e vocais dramáticos de Amy Lee. É o Evanescence sendo Evanescence

Mas, onde se encontra a inspiração de Billie Eilish citada por Amy Lee? Não se encontra. Não na sonoridade e nem no clima do álbum. Possivelmente, nas letras. 

A primeira faixa, "Artifact/The Turn", é a única que dá a impressão de que The Bitter Truth iria rumar para um caminho diferente do que o que a banda está acostumada a fazer. A canção de dois minutos e meio é introspectiva, com sintetizadores ao fundo e vozes sussurradas que caberiam muito bem no mundo sombrio e depressivo de Eilish.  

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

A partir de "Broken Pieces Shine", a próxima, cada música leva o ouvinte à década de 2000, quando era moda pintar os olhos, vestir preto, usar munhequeira, cinto de tachinhas,  touca no calor e matar o tempo da pós-aula na Galeria do Rock, em São Paulo. E nada disso é pejorativo. Muito pelo contrário, é o que os fãs esperam do Evanescence

Em tempos de pandemia e de incertezas sobre o futuro, a nostalgia de determinada época da vida em que tudo era mais fácil, mais divertido e mais simples, cai como uma luva. Ou como um novo abraço - no caso de um álbum de inéditas que remete ao passado. 

+++LEIA MAIS: Amy Lee desabafa sobre falta de mulheres no rock: 'Honestamente, as mulheres são ignoradas'

O singles "Yeah Right", "Use My Voice", "The Game Is Over" e "Wasted On You" foram divulgados nos últimos meses ganhando o conhecimento e a aprovação do público. A direção sonora de The Bitter Truth já tinha sido mostrada. No entanto, a citação de Amy Leesobre inspiração em música pop criou uma certa curiosidade para as faixas restantes do álbum. São 12 músicas ao todo. 

Se Amy Lee e o Evanescence se inspiraram em Billie Eilish para o novo disco, não tiveram muito sucesso, mas agradaram aos antigos fãs. E isso é o que importa.  


 +++ KANT | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL