Pulse

Freddie Mercury explicou por que deixou toda a herança para os gatos e ex-namorada

"Ninguém mais leva um centavo", registrou o cantor em vídeo

Redação Publicado em 20/09/2019, às 11h43

None
Freddie Mercury (Foto: AP)

Freddie Mercury: A Life in his Own Words, um novo documentário britânico sobre a vida de Freddie Mercury, falecido em 1991, mostrou o motivo pelo qual o músico deixou parte da herança para a ex-namorada Mary Austin e para o gato deles.

“Eu vou amá-la até meu último suspiro”, ele disse no vídeo, gravado anos antes de sua morte. Na ocasião, ele e Austin não estavam mais juntos. “Apenas dois indivíduos me deram tanto amor quanto eu dei a eles: a Mary, com quem eu tive um longo relacionamento, e nosso gato, Jerry. O meu vínculo com a Mary só parece crescer.”

E continuou: “Caso eu vá primeiro, deixarei tudo para ela. Ninguém mais leva um centavo, apenas os meus gatos. Eu posso ter todos os problemas do mundo, mas eu tenho a Mary e isso me motiva... Eu ainda a vejo diariamente e gosto tanto dela hoje quanto sempre gostei.”

Quando Freddie Mercury morreu, ele deixou a mansão, os bens e metade dos direitos às canções do Queen para a ex-namorada, enquanto a outra metade ficou com os pais dele e sua irmã, Kashmira.

+++ Leia mais: Freddie Mercury, Paul McCartney e Kurt Cobain: 12 vocais isolados do rock que vale a pena conferir [LISTA]

Mary Austin tinha 19 anos quando conheceu Freddie Mercury - que, na época, tinha 23 - em uma loja de roupas em Londres em 1970. Eles saíram por seis anos, até que, em 1976, o cantor acabou tendo um caso com o executivo da gravadora Elektra.

Apesar do térmido do relacionamento, ela se manteve por perto como sua confidente e conselheira. Inclusive, Mary foi a primeira pessoa a saber que Mercury tinha AIDS, e cuidou dele até os seus últimos dia de vida.