Homem processa Cardi B por usar tatuagem dele de forma 'humilhante' na capa do EP de 2016

Kevin Brophy Jr. alega que, em outras palavras, a capa da mixtape Gangsta Bitch Music Vol. 1 suja a imagem dele

Redação Publicado em 08/12/2020, às 13h39

None
Capa da mixtape Gangsta Bitch Music Vol. 1

De acordo com informações divulgadas pelo NME, Cardi B foi notificada de um processo um tanto quanto bizarro que envolve a capa da mixtape Gangsta Bitch Music Vol. 1, lançada em 2016.

O processo foi aberto por Kevin Brophy Jr., homem que acusa a rapper de ter usado na capa do EP o design da tatuagem que ele tem nas costas, sem pedir permissão. 

+++LEIA MAIS: Cardi B explica por que não inscreveu ‘WAP’ no Grammy: "Não podem levar embora o meu sucesso"

De acordo com o Brophy, a arte foi colocada com Photoshop nas costas do modelo que aparece fazendo sexo oral em Cardi B.

Como resultado, isso associa a imagem dele de forma "equivocada, ofensiva, humilhante e sexualmente provocativa".

Apesar dos advogados de Cardi B alegarem que o design da tatuagem foi modificado o suficiente para não configurar como uma cópia, o juiz responsável pelo caso, Cormac Carney, rebate afirmando que não existem alterações suficientes para justificar o uso.

+++LEIA MAIS: Geezer Butler acha 'WAP', hit da Cardi B, 'nojento'

O caso ainda não chegou a uma conclusão, porém Carney já descartou como "pura fantasia" a estimativa de que Brophy poderia ganhar US$ 1,5 milhões caso ganhe processo.

Veja abaixo a capa de Gangsta Bitch Music Vol. 1.


+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes


+++ TICO SANTA CRUZ: 'A GENTE QUERIA PROVOCAR OS CONSERVADORES' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL