“A indústria da música mudou quando Kurt Cobain morreu”, afirma Perry Farrell

Segundo o vocalista do Jane's Addiction, as gravadoras se cansaram dos músicos “viciados” e dependentes de drogas

Redação Publicado em 03/01/2020, às 12h39

None
Montagem com Perry Farrell, do Jane's Addiction (Foto: Owen Sweeney/Invision/AP) e Kurt Cobain, do Nirvana (AP Images)

Durante uma entrevista para a Classic Rock, Perry Farrell afirmou que a indústria da música sofreu grandes alterações após a morte de Kurt Cobain. O ex-vocalista e fundador do Nirvana se suicidou em 1994.

Ao refletir sobre o cenário musical dos anos 1990, o vocalista do Jane's Addiction revelou: “Eu acho que a indústria da música mudou quando Kurt Cobain morreu. As gravadoras não aguentavam mais as ‘travessuras’ dos músicos viciados que só querem se drogar em algum lugar.”

+++ LEIA MAIS: Casa que Kurt Cobain morreu está assombrada pelo espírito do cantor, diz funcionário da imobiliária

“Afinal, muitos outros artistas - talvez não igualmente talentosos - também sabiam fazer dinheiro”, ele continuou. ”Os dias de Johnny Thunders caindo no sono em cima do microfone. Quando Kurt morreu, eles se cansaram disso.”

Comentando um pouco sobre a indústria musical moderna, o cantor disse que ela também “está em apuros”, dizendo: “Quando o Jane’s Addiction surgiu, não havia internet (...) Agora, os artistas não recebem nada e passam por dificuldades.”

+++ LEIA MAIS: Empresário do Nirvana rezou para que morte de Kurt Cobain fosse assassinato, e não suicídio

“As casas de show estão fechando e nós, músicos, precisamos de locais para tocar. Então, minha atitude é: eu vou construir uma ‘caravana’ e podemos percorrer o mundo e nos apresentar para as pessoas — porque o mundo precisa de música”, concluiu.

 


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'