Por que John Lennon quase foi deportado dos Estados Unidos em 1972?

Richard Nixon viu o ex-beatle como uma ameaça para sua reeleição

Redação Publicado em 20/06/2019, às 10h30

None
John Lennon e Yoko Ono (Foto: AP / File)

Em 1970, quando John Lennon iniciou a sua carreira solo e um ano depois de se mudar para Nova York com Yoko Ono, os dois se tornaram famosos por suas posições anti-guerra com a faixa "Give Peace a Chance". 

Naquela época, o FBI ficou muito interessado em Lennon quando ele começou a usar a sua influência em assuntos políticos dos EUA em 1971. Depois que a sua canção de protesto "John Sinclair" levou um homem a liberdade ao ser condenado por posse de maconha, Richard Nixon deu as caras e começou a observar o cantor. 

+++ John Lennon queria colocar Hitler em capa de disco dos Beatles?

Quando Lennon falou em fazer uma turnê pelo país contra a campanha de reeleição de 72 de Nixon, não houve como voltar atrás. Foi a primeira vez que a idade do voto havia sido reduzida para 18 anos. O presidente, da época, se preocupou com a capacidade de Lennon de influenciar o eleitorado nas primeiras eleições com a classificação de faixa etária. 

+++ Quando John Lennon percebeu que era o fim dos Beatles?

Em 1972, Lennon já havia sido muito claro sobre os seus sentimentos em relação a Nixon. Na verdade, a única pessoa que ele "destruiu" mais do que Paul McCartney no disco Imagine, foi Nixon. A música "Give Me Some Truth" é um ótimo exemplo. 

Com a campanha de reeleição se aproxiamndo, e e os jovens de 18 anos elegíveis para votar pela primeira vez, Nixon ficou preocupado com o que poderia acontecer, e então, ele começou a enviar agentes do FBI para os shows de Lennon.

+++ Qual foi o maior sucesso de John Lennon fora dos Beatles?

Na sequência, o governo soube que Lennon tinha uma condenação por porte de maconha na Inglaterra. O que tecnicamente desqualificaria Lennon de entrar no país. Nixon viu a situação como uma abertura assim que o visto de turista de Lennon expirasse. E então, em 1972, ordenou a deportação de Lennon do país. 

A verdade é que Nixon não estava preocupado com alguma ameaça imaginária. O ex-beatle realmente planejava seguir Nixon pelo país e fazer shows depois que o presidente falasse nas convenções. De alguma forma, Nixon considerou esse gesto uma ameaça real às suas chances de reeleição.

+++ Carta escrita à mão por John Lennon para rebater críticas à Yoko Ono vai a leilão

O governo exigiu  que uma ordem de deportação fosse enviada para Lennon. Ao tomar conhecimento, o cantor e compositor disse que não estaria montando qualquer tipo de oposição à campanha de reeleição. Claramente, a campanha de intimidação de Nixon havia funcionado e John estava evitando a deportação.

No fim, ele convocou seus amigos para prestarem depoimento ao seu favor. Joan Baez, Bob Dylan, Joseph Heller  e Leonard Bernstein, escreveram para a orgqanização em nome de Lennon. "Viva para John e Yoko", escreveu Dylan. "Deixe-os ficar e viver aqui."

+++ O Garoto de Liverpool, cinebiografia de John Lennon, vai virar musical

Quando as eleições chegaram, o medo de Nixon se mostrou infundado pois ele conseguiu facilmente a reeleição. Enquanto isso, o processo legal contra Lennon começou a dar sequência. Mas em 1975, ele teve a ordem de deportação anulada por juízes dos EUA. Um ano depois, ele conseguiu seu cartão verde e se tornou um residente permanente.

 

+++ MINHA PLAYLIST: Rael está "envolvidão" por Bob Marley e Caetano Veloso