Pulse

Minissérie da Netflix que aborda condenações injustas e abuso policial é processada por difamação

Olhos que Condenam foi lançada em maio de 2019, e a diretora, assim como a Netflix, enfrentam processos

Redação Publicado em 16/10/2019, às 20h41

None
Olhos Que Condenam (Foto: reprodução)

Olhos que Condenam, da Netflix, é uma minissérie baseada em fatos reais, e relembra os cinco adolescentes do Harlem presos injustamente, em 1989, por estupro. Apesar das crítias positivas e enredo aclamado, enfrenta um processo pela forma que criticou um assunto: a Técnica de Interrogatório Reid.

Nesta semana, aVariety  informou que Ava DuVernay, diretora da produção, e a Netflix, estão sendo processados por difamação pela empresa John E. Reid e Associados. De acordo com o documento do processo, a empresa de streaming passou uma visão distorcida do método policial.

+++LEIA MAIS: Netflix resume Breaking Bad com cenas de 1 segundo dos 62 episódios; assista

A Técnica Reid é utilizada em interrogatórios. Foi criada em 1940, e ainda é aplicada pela polícia de Nova York. Elaborada por Reid, antigo policial de Chicago, consiste em mais de nove etapas de interrogatório. Os passos vão de confrontação e desenvolvimento do enredo à confissão.

A cena polêmica apareceu durante o quarto episódio de Olhos Que Condenam, quando o detetive Michael Sheehan interroga os Cinco do Central Park sem água ou comida. Segundo o processo, o esquete se referiu à Técnica Reid de forma pejorativa:

+++LEIA MAIS: Edward Norton critica Steven Spielberg, defende Netflix e culpa redes de cinema por falta de qualidade nas projeções

“Os réus tentaram incitar a audiência do público contra Reid pelo que aconteceu no caso da Corregedoria do Central Park e pelos interrogatórios coercitivos que continuam a ser usadas hoje em dia. Os Réus publicaram declarações em Olhos que Condenam em uma tentativa de causar a condenação da Técnica de Reid.”

A minissérie começa em 1989, ano em que cinco adolescentes do Harlem foram presos pelo estupro brutal de uma atleta no Central Park, Nova York. Foram julgados como culpados e presos - mas sempre foram inocentes. Só em 2014 a Justiça admitiu o erro e limpou o nome dos envolvidos.

Olhos Que Condenam, estrelada por Michael K. Williams, Vera Farmiga, John Leguizamo e Felicity Huffman, está disponível na Netflix.