Por que criadores mudaram cena importante de Klaus em Umbrella Academy?

O showrunner Steve Blackman comentou a decisão de mudar a narrativa

Redação Publicado em 22/10/2020, às 16h00

None
Klaus na série The Umbrella Academy (Foto: Reprodução)

Uma das cenas mais memoráveis de The Umbrella Academy envolve o Klaus. No entanto, se a série seguisse a história dos quadrinhos, a cena seria muito diferente, como relembra o Looper.

Na produção da Netflix, o Número 4 bate a cabeça no chão de um clube e se vê em um lugar que parece ser o pós-vida. Ao acordar em um mundo em preto e branco, ele conversa com uma garota em uma bicicleta (que seria uma representação de Deus).

+++ LEIA MAIS: The Witcher e Umbrella Academy sacaneiam Game of Thrones por erro do copo de café nas gravações

A jovem diz que não "gosta muito" de Klaus, e então avisa que uma pessoa o estava esperando. No caso, era Reginald, que apara a barba do filho e dá uma lição sobre as escolhas de vida abusivas do jovem. Depois de um tempo e quando o patriarca falaria algo importante, o Número 4 volta ao mundo dos vivos.

A cena é bem marcante, mas os quadrinhos são totalmente diferentes. Primeiro que o jovem foi para o outro lado depois de levar um tiro na cabeça, obra de Hazel and Cha-Cha. Em The Umbrella Academy: Dallas #3, o 4 acorda em um pós-vida preto e branco, desta vez um deserto.

+++ LEIA MAIS: 6 curiosidades sobre o fenômeno Aidan Gallagher - o Cinco de Umbrella Academy [LISTA]

A versão de Deus que ele encontra é um caubói mais idoso, montado em um cavalo. Mais agressivo - e preconceituoso- , ele também fala que não gosta de Klaus, apesar de ter o criado. Ainda, falou que nem o Diabo queria o Hargreeves.

Em vez de mandar Klaus para conversar com Reginald, é o próprio Deus que manda ele parar de usar drogas; além de precisar matar Hazel and Cha-Cha. Ao acordar, o jovem faz exatamente isso.

+++ LEIA MAIS: 5 memes perfeitos sobre Klaus, de Umbrella Academy [LISTA]

Em entrevista de 2019 à Variety, o showrunner Steve Blackman comentou a decisão de mudar essa narrativa: "Eu só não queria um estereótipo de um Deus masculino em um cavalo olhando para baixo. Achei muito mais interessante ter essa jovem aparecendo em uma bicicleta e ficando irritada com todas as perguntas de Klaus".

A cena do barbeiro também é mais importante do que parece. Reginald limpa o rosto de Klaus, e essa é uma metáfora para o jovem se livrar dos vícios.


+++ XAMÃ: ‘SE VOCÊ NÃO SENTE NADA COM UMA MÚSICA, É PORQUE TEM ALGUMA COISA ERRADA' | ROLLING STONE BRASIL