Por que John Deacon não falou com Freddie Mercury antes da morte do ex-vocalista do Queen?

Segundo o site Express UK, o ex-baixista foi o único integrante que não falou com o líder da banda

Redação Publicado em 27/01/2020, às 11h13 - Atualizado às 11h14

None
John Deacon (Foto: Walter Mcbride / Media Punch PX)

John Deacon foi o único integrante do Queen que não falou com Freddie Mercury durante os últimos dias de vida dele. De acordo com o site Express UK, o ex-baixista não conseguiu ver o amigo porque não tinha estabilidade emocional suficiente para vê-lo.

Brian MayRoger Taylor já mencionaram em diversas entrevistas que Deacon era o integrante mais próximo de Mercury e foi o membro que ficou mais abalado com a doença e morte do cantor.

+++ LEIA MAIS: Antes da fama: Como Freddie Mercury e David Bowie se conheceram?

E, devido o momento de fragilidade física e emocional do líder do Queen, os amigos e parentes do músico estavam proibidos de chorar ou ficarem muito emotivos perto de Mercury.

A ex-namorada do astro do rock, Mary Austin, afirmou que Mercury não suportava causar sofrimento nas outras pessoas por causa da condição dele e, por isso, sempre evitava receber visitas dos amigos que estavam extremamente afetados pela situação, como Deacon.

+++ LEIA MAIS: Bohemian Rhapsody foi difícil, mas deu nova vida ao Queen, dizem Brian May e Roger Taylor

Após a morte de Mercury em 24 de novembro de 1991, o ex-baixista ainda se apresentou com May e Taylor durante seis anos. Contudo, em 1997, o músico decidiu se afastar da vida pública, da banda e dos integrantes restantes do Queen.

Entre as últimas declarações públicas do artista, Deacon afirmou que não fazia sentido continuar com as apresentações do grupo e que era impossível substituir os vocais ou a performances de Mercury.

"Até onde sabemos, é isso. Não tem sentido continuar. É impossível substituir Freddie", disse o músico na época.


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL