Protegido de Bruce Lee defende o lutador da versão arrogante de Era Uma Vez Em Hollywood

Segundo pessoas próximas do astro, Bruce Lee não está sendo retratado verdadeiramente no longa

Redação Publicado em 01/08/2019, às 13h58

None
Bruce Lee em Meng long guo jiang (Foto: Reprodução)

Quando pensamos em artes marciais e cinema, o Bruce Lee é uma grande referência. Mas a sua representação no novo filme do Quentin TarantinoEra uma vez em Hollywood, segundo pessoas próximas do ícone está longe de ser verdade. 

Em uma entrevista para o site The Wrap, Shannon Lee, filha do astro, opiniou sobre a representação de seu pai no filme que estreia nos cinemas nacionais no dia 15 de agosto, e diz ter achado o personagem "arrogante". 

Ela pontoou a questão de que em Hollywood, nos anos 1960, Lee, por se descendente de chineses, precisou lutar contra o preconceito e se esforçar muito mais nas atuações do que atores brancos retratados no filme do cineasta. 

+++ LEIA MAIS: Quentin Tarantino cria playlist com as músicas dos seus filmes, de Soundgarden, David Bowie a Johnny Cash

"Ele foi constantemente marginalizado e tratado como inconveniente por uma Hollywood branca, e é como ele é tratado no filme do Tarantino", diz Lee. "Espero que as pessoas aproveitem essa oportunidade para descobrir mais sobre Bruce Lee, porque há muito mais para descobrir. O seu retrato no filme definitivamente não é verdade", conclui. 

+++ LEIA MAIS: Quentin Tarantino revela a possibilidade de um terceiro filme de Kill Bill

Além da filha, em uma entrevista exclusiva para aVariety, Dan Inosanto, um dos únicos parceiros de treinamento de Lee, comentou sobre o astro. Inosanto apareceu ao lado de Lee em seu último filme Game of Death, e em programas de TV ao longo dos anos 1960 e até a morte do astro em 1973. 

+++ LEIA MAIS: Era Uma Vez Em Hollywood bate recorde pessoal de Quentin Tarantino nas bilheterias

Apesar de ainda não ter visto o filme, ele diz que, a partir de suas lembranças de Lee no set, ele nunca viu o ator nascido em São Francisco, sendo exaltado ou se envolvendo em polêmicas para se exibir, e insistiu em dizer que retratar os asiáticos praticando artes marciais de forma estereotipada é coisa de Hollywood. 

"Ele nunca foi, na minha opinião, arrogante. Talvez ele fosse convencido de suas habilidades nas artes marciais porque tinha muita certeza de si mesmo. Ele estava muito à frente de todos os outros. Mas em um set, ele não ia se exibir". 

Tarantino não consultou a família Lee antes ou durante a realização de Era uma vez em Hollywood e, segundo a Variety, o representante de Tarantino não comentou sobre a situação. 

+++ LEIA MAIS: Quentin Tarantino pede desculpas à vítima de estupro de Roman Polanski: “Fui ignorante e insensível”

Tanto para Inosanto quanto para Lee, preservar o legado de Bruce Lee, seja pelas artes marciais ou desenvolvendo os projetos ele não conseguiu concluir, é algo que eles fazem até hoje. Enquanto Inosanto ensina em sua Academia Inosanto de Artes Marciais, Shannon Lee trabalha desenvolve projetos inspirados nos rascunhos de seu pai, como Warrior do Cinemax. 

+++ ENTREVISTA RS: Rubel fala de carreira acidental, conta como criou "Partilhar" e que quer ser popular